Cidades

Moradores são atacados por cães de rua em Mimoso do Sul e pedem providência da prefeitura

COMPARTILHE
783
Advertisement
Advertisement

Na tentativa de fazer com que a prefeitura tome uma providência, moradores de Mimoso do Sul fizeram um abaixo-assinado para pedir às autoridades que cuidem da população de animais de rua do município, que vem causando transtornos.

Continua depois da publicidade

Os moradores alegam que, além da sujeira deixada pelos animais, alguns deles, mais agressivos, avançam e mordem quem passa próximo. Uma das vítimas é o taxista Antônio Gomes Torres, 65 anos. O idoso foi atacado por um dos cães e teve a perna perfurada pelo animal. Depois disso, ele fez um documento com cerca de 220 assinaturas e protocolou no Ministério Público, Câmara Municipal e na Prefeitura, pedindo ajuda para resolver o problema.

“Mimoso do Sul chegou em um ponto que as pessoas idosas, crianças, não estão podendo mais andar na cidade. Em todos os bairros há muitos cachorros. Fui mordido por um cão, nesta semana, e um amigo meu, de 89 anos, também foi atacado e ficou ferido. Uma menina, de 10 anos, foi mordida nas nádegas. Eu gostaria de pedir a todas autoridades competentes para que tomem as devidas providências. Eu tenho condições de correr e tentar me livrar. Mas e quem não tem? Há muitos cachorros próximos das creches, rodoviária, em todos os bairros. Precisei ser vacinado no dia e vou ter que tomar mais três doses, por que a cachorra que me atacou, aparenta estar doente. Esse problema esta causando transtornos e precisa ser resolvido com urgência”, desabafou Antônio.

Continua depois da publicidade

A reportagem tentou contato com a Prefeitura para saber quais medidas serão tomadas, mas não conseguiu contato. A redação também ligou para o prefeito Ângelo Guarçoni, mas não teve retorno das ligações até a publicação da matéria.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].