Segurança

Falso veterinário é preso em flagrante pela Policía Civil no Espírito Santo

COMPARTILHE
Materiais apreendidos onde o falso veterinário atuava. Divulgação PC
893

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente (DEPMA), realizou a prisão em flagrante de um falso veterinário que atuava no bairro Morada de Laranjeiras, em Serra. Ele foi detido na terça-feira (8).

Lavrador é atingido por golpes de punhal na varanda de casa em distrito de Mimoso do Sul

Um lavrador de 51 anos foi atingido por golpes de punhal, na tarde desta...

Três hectares de florestas são queimados em incêndio no Alto da Serra de Alegre

Um incêndio de grandes proporções queimou aproximadamente três hectares de florestas em Alegre. O...

Motorista morre ao cair em ribanceira em rodovia próximo a Brejetuba

Um acidente deixou uma vítima fatal na madrugada deste sábado (19) na Rodovia Antônio...

De acordo com o titular da delegacia, Eduardo Passamani Galvão, as investigações foram iniciadas a partir de uma denúncia recebida pela CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa. “Cumprimos um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito. A denúncia informava que um animal, atendido pelo falso médico, teria sofridos sequelas decorrentes do tratamento aplicado”, explicou.

Fiscais do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) acompanharam as buscas, informou o titular da especializada. “Foram apreendidos anestésicos de uso controlado e de utilização restrita aos médicos veterinários, instrumentos cirúrgicos, receitas e cartões de vacina com carimbos e assinaturas do suspeito, que identificavam o indivíduo como médico veterinário. Documentos com um número de registro que constatamos ser falso do conselho de classe do Rio Grande do Norte “, detalhou.

Continua depois da publicidade

O suspeito foi autuado em flagrante pelo crime de falsidade ideológica e ainda serão investigados outros crimes, como maus-tratos e exercício ilegal da profissão. Em depoimento, o suspeito confirmou que realizava atendimentos se apresentando como médico veterinário há cerca de três meses, e que não tinha consultório. As consultas ocorriam nas casas dos pacientes.

“Sempre que levar seu pet a um atendimento médico, é importante solicitar o registro do profissional e, principalmente, confirmar a veracidade do registro junto ao conselho de classe. Em caso de suspeita, o tutor do animal deve prestar queixa diretamente ao conselho e, se houver confirmação de prática ilegal, registrar o Boletim de Ocorrência em qualquer delegacia”, orienta o  delegado.

Publicidade