Política Nacional

Senado aprova MP que reorganiza órgãos do governo e transfere PPI para casa Civil

COMPARTILHE
14

O Senado aprovou, nesta quarta-feira, 16, a medida provisória que reformulou a estrutura administrativa do governo e transferiu o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para a Casa Civil. Antes de o presidente Jair Bolsonaro assinar a medida, o programa estava no guarda-chuva da Secretaria de Governo. O texto segue para sanção presidencial.

Bolsonaro afirma que acordo sobre Base de Alcântara foi 'bastante penoso'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 14, que o acordo sobre a Base...

Bancada 'lavajatista' critica Toffoli por exigir dados sigilosos

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de exigir dados...

MP denuncia ex-agentes do Doi-Codi por morte de advogado após tortura

O Ministério Público Federal denunciou o ex-comandante do Doi-Codi em São Paulo Audir Santos...

Se não fosse votada, a medida perderia os efeitos na quinta-feira, 17. O mesmo texto transfere a articulação política do governo Jair Bolsonaro da Casa Civil, chefiada por Onyx Lorenzoni, para a Secretaria de Governo, cujo titular hoje é o ministro Luiz Eduardo Ramos.

Em meio à votação, o Senado impôs uma derrota ao governo. Os senadores impugnaram um trecho da MP que colocava a política de imigração laboral sob o guarda-chuva do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Na prática, essa responsabilidade ficará com o Ministério da Economia.

Continua depois da publicidade

No primeiro semestre, o Congresso já havia alterado uma medida provisória de Bolsonaro passando a imigração laboral para o Ministério da Economia. Bolsonaro, ao assinar a segunda MP, colocou novamente a estrutura na pasta da Justiça. Como a Constituição proíbe o presidente da República de reeditar no mesmo ano medida provisória que perdeu os efeitos ou foi rejeitada pelo Congresso, o Senado considerou esse trecho como inválido.

Daniel Weterman
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade