Política Nacional

Haddad: não tem hipótese de ser cada um por si na esquerda em 2020

COMPARTILHE
17

Candidato derrotado do Partido dos Trabalhadores (PT) nas eleições presidenciais de 2018, o ex-prefeito Fernando Haddad foi a principal liderança da esquerda em ato realizado neste domingo, 13, na Avenida Paulista, em defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Bolsonaro afirma que acordo sobre Base de Alcântara foi 'bastante penoso'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 14, que o acordo sobre a Base...

Bancada 'lavajatista' critica Toffoli por exigir dados sigilosos

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de exigir dados...

MP denuncia ex-agentes do Doi-Codi por morte de advogado após tortura

O Ministério Público Federal denunciou o ex-comandante do Doi-Codi em São Paulo Audir Santos...

Após discursar no pequeno palanque instalado na esquina da Avenida Paulista com a Alameda Ministro Rocha Azevedo, Haddad falou com a reportagem.

O ex-prefeito se mostrou cético em relação à formação de uma frente única de esquerda na disputa pela Prefeitura de São Paulo ano que vem.

Continua depois da publicidade

“Não tem hipótese de ser cada um por si em 2020, mas cada cidade é uma situação diferente. São Paulo é uma cidade à parte. Tem um peso muito simbólico para o PT, que já governou a capital três vezes”. “Sempre é possível estarmos juntos. Os riscos são muito grandes. Bolsonaro ameaça a democracia”, acrescentou.

Também presente ao ato, o ex-presidenciável Guilherme Boulos, do PSOL, disse que o maior erro que a esquerda pode cometer nesse momento é “jogar 2019 com a cabeça em 2022”.

O PT e o PSB abriram tratativas sobre uma possível aliança em torno do nome de Márcio França, mas cinco nomes petistas já se apresentaram como pré-candidatos.

Pedro Venceslau
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade