Geral

Inquérito sobre óleo está aberto e ainda é inconclusivo, diz ministro da Defesa

COMPARTILHE
18
Advertisement
Advertisement

O inquérito sobre a origem do óleo que atingiu a costa litorânea do Nordeste está aberto e ainda é inconclusivo, afirmou o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, em coletiva de imprensa, durante o Fórum de Investimentos Brasil 2019.

Brasil registra 904 mortes por coronavírus em 24h; total vai a 35.930 óbitos

O Brasil contabilizou 904 novas mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas, elevando...

Maia critica manipulação de dados da pandemia pelo Ministério da Saúde

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou do governo federal o...

Dados sobre Brasil chegam a ficar fora do ar do site da Johns Hopkins

Informações sobre o Brasil deixaram de aparecer no site da Universidade Johns Hopkins, referência...

“Estamos levantando os navios e bandeiras. Pode ter sido acidente ou incidente, ainda não chegamos a essa conclusão”, disse o ministro na coletiva. O evento, realizado em São Paulo, é organizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Azevedo e Silva ressaltou que ainda não tem como saber se o vazamento foi criminoso. “Ainda não sabemos a origem. No momento, estamos verificando a origem do petróleo e não o responsável. Já sabemos que não é vazamento de nossas plataformas”, acrescentou o ministro.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Na manhã desta quinta-feira, no mesmo evento, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que tem “quase certeza” sobre o derramamento ser criminoso. “Tenho quase certeza. Não temos bola de cristal para descobrir rapidamente quem é o responsável pelo ato criminoso, mas tomamos as providências”, disse o presidente mais cedo.

André Ítalo Rocha, Circe Bonatelli e Isadora Duarte
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.