Economia

Governo deve lançar programa de qualificação Emprega+ nos próximos 30 dias

COMPARTILHE
16
Advertisement
Advertisement

O governo deve anunciar nos próximos 30 dias um acordo com o Sistema S que será a base do programa Emprega+, com foco em qualificação profissional e aumento do emprego. O acordo envolverá redução do funding e aumento de transparência.

Investimento Direto no País tem menor resultado para abril desde 1995, diz BC

Em um ambiente de incertezas sobre o futuro do Brasil, na esteira da pandemia...

Bolsonaro diz que deve sancionar até quarta-feira projeto de socorro aos Estados

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (26) que deve sancionar entre hoje e...

Deflação maior que esperada do IPCA-15 e exterior ditam baixa dos juros futuros

Os juros futuros respondem em baixa à deflação pelo Índice Nacional de Preços ao...

Segundo o secretário especial de Produtividade e Competitividade, Carlos da Costa, o programa Emprega+ terá três pilares: um sistema de vouchers para acesso a recursos do Sistema S, um programa de treinamento com empresas remuneradas conforme o número de empregados e ampliação do Supertec, plataforma criada no Pronatec para abertura de vagas de treinamento de acordo com a demanda.

Costa disse que o acordo com o Sistema S já está fechado e que será responsável pela maior parte do programa.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A ideia do programa é ligar a oferta à demanda pelos cursos. As empresas cadastrarão junto às entidades do Sistema S os cursos que têm necessidade para seus profissionais. O sistema então só liberará um voucher para a empresa acessar o curso depois que for demonstrado que existe demanda para esse treinamento.

Entre os dias 24 e 25, o governo pretende lançar o edital para o chamado contrato de impacto social, que terá R$ 3,2 milhões em recursos do orçamento da União. A ideia é oferecer 800 vagas.

A metodologia será a seguinte: as empresas terão que apresentar uma lista com 2 mil nomes, a partir dos quais o governo selecionará aleatoriamente 800 trabalhadores que receberão treinamento. Os outros 1.200 funcionarão como um grupo de controle.

A remuneração da empresa vencedora, no entanto, será condicionada à empregabilidade desses trabalhadores. Ou seja, as escolas só receberão se a taxa de empregabilidade dos treinados for superior ao grupo de controle. O valor no edital será de R$ 16/hora aula e vencerá a empresa que oferecer o menor valor.

Na entrevista, Costa disse ainda estar trabalhando com Congresso em projetos de saneamento e financiamento privado.

Lorenna Rodrigues
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.