Geral

Bolsonaro critica Vale por ter 'abocanhado' o direito mineral no Brasil

COMPARTILHE
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
35

Ao conversar com um grupo de garimpeiros da região de Serra Pelada, o presidente Jair Bolsonaro criticou a empresa Vale por ter, na visão dele, “abocanhado” o direito mineral no Brasil no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que comandou o País entre 1995 e 2003.

Passarela desaba e trava trânsito na Marginal do Tietê

Uma passarela desabou no início da noite desta quinta-feira, 14, na Marginal do Tietê,...

Avião de pequeno porte cai na Bahia e deixa 1 morto e 9 feridos

Um acidente com um avião de pequeno porte deixou uma pessoa morta e nove...

Medicina na USP tem disputa de 129 candidatos por vaga

A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) divulgou nesta quinta-feira, 14, a relação candidato...

“Esse é um país que é roubado há 500 anos. A gente conhece o potencial mineral do Brasil. Eu sei como a Vale do Rio Doce abocanhou, no governo FHC, o direito mineral no Brasil. Um crime, um crime o que aconteceu”, disse o presidente.

Bolsonaro falou pessoalmente com representantes da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), localizada no sul do Pará. Na entrada do Palácio do Planalto, ele discursou em cima de uma cadeira, apoiado em dois seguranças. Na conversa, prometeu que, se houver amparo legal, vai enviar as Forças Armadas para atuar na região. A Vale atua há anos no local.

Continua depois da publicidade

O presidente também disse que é uma “covardia” o que fazem com garimpeiros no Brasil e insinuou que há pessoas que pagam propina para encobrir ilegalidades. “Está aí o mundo falando e muitas vezes criticando garimpeiros. É uma covardia que fazem com o meio ambiente de vários países do mundo. Faz aqui dentro do Brasil, ninguém toca no assunto porque a propina, pelo que parece, corre solta”, declarou.

Bolsonaro afirmou que pediu ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para buscar “alternativas” que ajudem os garimpeiros junto à Agência Brasileira de Mineração. “Se tiver alternativa, a gente vai até o final da linha”, prometeu. “Não vou oferecer milagre para ninguém aqui, mas se tiver alternativa, se tiver meios, porque o presidente pode muito, mas não pode tudo, a gente soluciona o problema de vocês.”

O presidente lembrou ainda que o seu pai atuou como garimpeiro no passado. “Nós queremos solucionar. Não é porque meu pai foi garimpeiro, não. Eu garimpei por meses, como curioso. Sei o que é um jogo de peneira, uma batente. Sei das dificuldades, não é para qualquer um bater garimpo de aluvião. Tem outro tipo de garimpo”.

Julia Lindner
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade