Educação

Ufes suspende 1,1 mil bolsas após Governo Federal anunciar mais cortes na Educação

COMPARTILHE
317
Advertisement
Advertisement

O Governo Federal anunciou nesta semana o corte dos repasses feitos pelo Ministério da Educação (MEC) para instituições federais de todo o País. Com a medida, estudantes que recebem bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Programa Integrado de Bolsas (PIB) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico (CNPq) serão prejudicados.

Transmissão de aulas pela TV para alunos da rede estadual não chega a partes do interior do ES

Pais e mães estão questionando, nas redes sociais, sobre a transmissão, pela TV, das...

Cerca de 240 mil alunos da rede estadual de ensino do ES terão aulas pela TV e pela internet

Quase um mês após o fechamento das escolas do Espírito Santo para impedir o...

Mais de 20 mil estudantes voltam às aulas em Cachoeiro de Itapemirim nesta segunda (10)

Após adiamento por conta da enchente do último dia 25, os estudantes da rede...

Por causa da medida, nessa terça-feira (3) a  Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) anunciou a suspensão de benefícios de 1,1 mil bolsas do PIB.

Em nota, a Ufes informou que em função dos cortes orçamentários impostos pelo Governo Federal às Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), a Administração Central foi obrigada a tomar a decisão de suspender as bolsas do Programa Integrado de Bolsas (PIB, que inclui as bolsas vinculadas aos Projetos Especiais de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Paepe) I e II, à Iniciação Científica e à Extensão.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Ainda na nota, a Ufes reafirma seu compromisso com os estudantes e diz que continuará “empenhada em negociar a recomposição do orçamento da universidade junto ao Governo Federal, de forma a retomar o programa, mas, que a medida não afeta o pagamento dos auxílios estudantis concedidos aos estudantes beneficiados pelo Programa de Assistência Estudantil da Ufes (Proaes)”.

Prejudicados

O corte do benefício afeta universitários e estudantes que usam o valor das bolsas de extensão para ajudar nas despesas de aluguel, transporte público e refeições.

Um exemplo é Nayara Donatti, de 21 anos. A jovem, natural de Vila Velha, cursa o oitavo período de Ciências Biologias na Ufes de Alegre e estava cotada para receber o benefício a partir deste mês pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico (CNPq).

Advertisement

“Estudo em Alegre mas terei que utilizar o laboratório do campus de Vitória para desenvolver o meu projeto, então, o dinheiro da bolsa (R$ 400), me ajudaria no transporte. Minhas idas e vindas serão semanais, é um gasto alto”.

A universitária conta que os custos com os estudos são bancados pelos pais, o que aperta ainda mais o orçamento da família. “Por não morar com meus pais, já tenho gastos com aluguel, contas e despesas de casa. Com as passagens, será um gasto ainda maior, o que pesa no bolso deles”.

Incertezas

Quem já atua como bolsista e também está apreensiva com os cortes é a estudante do oitavo período de Nutrição da Universidade Federal do Espírito Santo, campus de Alegre, Meiriéle Corrente Tavares, 21.

Filha de pai lavrador e de mãe que atua como agente comunitária de Saúde, Meiriéle diz que sem a ajuda da bolsa os pais não têm condições financeiras de mantê-la estudando. “Mesmo sendo numa universidade pública, nossa renda mensal só dá para o sustento familiar. Portanto, posso dizer com propriedade da importância das bolsas da Ufes como forma de manter a dimensão da pesquisa e extensão e acima de tudo de possibilitar que estudantes como eu tenham oportunidade de ter ajuda financeira para permanência na universidade”, explica a jovem.

Meiriéle também teme pela irmã Marcele, que estuda em outra instituição federal. “Ela ainda não conseguiu uma bolsa e possivelmente não mais conseguirá, dado os cortes com a Educação Pública e já estamos passando por muita dificuldade financeira, pois a bolsa de 400,00 é fundamental para nossas despesas de casa”, desabafa.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.