Espírito Santo

Terceira Ponte: Justiça manda soltar jovem que participou de racha que matou casal de Cachoeiro

COMPARTILHE
1662
Advertisement

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu Habeas Corpus a Oswaldo Venturini Neto, condutor do veículo Etios envolvido em um racha na Terceira Ponte, no dia 22 de maio desse ano. O acidente matou o casal de namorados Kelvin Gonçalves dos Santos e Brunielly Nascimento Felippe, que seguia em uma motocicleta com destino a Serra

Gestores do Sul do Espírito Santo destacam a importância da Lei Aldir Blanc em seus municípios

Sancionada no último dia 29 pelo Congresso Nacional, a Lei de Emergência Cultural Aldir...

ES vai investigar reinfecção por Covid, temporalidade e imunidade do vírus na população capixaba 

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, junto ao subsecretário da pasta, Luiz...

Empresários do ES pedem abertura de restaurantes com restrições aos fins de semana

Durante uma reunião online ocorrida entre o setor turístico das montanhas capixabas e o...

A decisão é do Ministro Sebastião Reis Júnior e foi divulgada nesta terça-feira (24) pelo advogado Ludgero Liberato. Ele informou que o seu cliente ficará com restrições quanto aos horários em que pode permanecer na rua e proibição de dirigir. 

MPES

Advertisement
Continua depois da publicidade

Em junho, o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Vitória, denunciou os dois motoristas envolvidos no racha. O advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, e o estudante de Engenharia Oswaldo Venturini Neto, 22, foram detidos em flagrante no dia do crime e se recusaram a fazer o teste do bafômetro. Eles foram levados ao hospital e, após alta médica, encaminhados para a Delegacia Regional de Vitória.

Brunielly e Kelvin seguiam para casa, na Serra, quando foram atingidos pelos acusados

De acordo com a denúncia, os acusados, após ingerirem bebida alcoólica, assumiram a direção de seus respectivos carros e participaram de uma competição automobilística não autorizada, popularmente conhecida como “racha”, trafegando em velocidade muito superior à permitida e conduzindo os veículos de forma irresponsável.

“Os motoristas assumiram o risco de produzir o resultado lesivo, cometendo crime doloso contra a vida, além de expor a perigo um número indeterminado de pessoas”, diz a denúncia do MPES.

Veja a denúncia na íntegra

Advertisement

Relembre o caso

Brunielly Oliveira, 17 anos, e Kelvin Gonçalves dos Santos, 23, eram de Cachoeiro e moravam na Grande Vitória. Eles retornavam da casa da mãe de Kelvin, em Vila Velha, para a Serra, na madrugada do dia 22 de maio, quando foram atingidos pelos carros.

A jovem estava havia cerca de um mês na Serra morando com o namorado que já morava já há algum tempo na Grande Vitória. O casal havia reatado o relacionamento há pouco tempo. Os corpos dos jovens foram sepultados em Cachoeiro

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.