Cidades

Sindicato convoca servidores da Prefeitura de Muniz Freire para manifestação contra atraso de salários

COMPARTILHE
330
Advertisement
Advertisement

O Sindicato Municipal (Sindmunicipal) de Muniz Freire está convocando os servidores públicos municipais para realizarem, hoje, uma manifestação para reivindicar o pagamento dos salários que estão atrasados e deveriam ter sido pagos até o 5º dia útil do mês.

Governo do ES adquire equipamentos para ajudar na limpeza de cidades afetadas pelas chuvas

O governador Renato Casagrande gravou um vídeo na tarde desta quarta-feira (22, onde disse...

Bolsonaro envia ajuda para vítimas das chuvas no Sul do Espírito Santo; veja o vídeo

O ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, do governo Bolsonaro, gravou um vídeo nesta...

Prazo para inscrição de projetos socioambientais para apoio da Unimed Sul é prorrogado

Vai até o dia 31 deste mês o prazo para inscrição de projetos sociais...

A concentração acontecerá a partir das 11h30, em frente ao Sindmunicipal, de onde os servidores caminharão até a rua Pedro Deps, até a sede da Prefeitura. Segundo a presidente do sindicato, Edilza Maria Martins Bello, a manifestação não está relacionada a política partidária, mas sim a política sindical em luta dos interesses dos servidores.

“Na manifestação, que será uma caminhada, iremos solicitar ao prefeito uma posição em relação ao nosso pagamento. É imprescindível a presença de todos para que o poder público municipal tome as medidas necessárias para que o nosso salário e a nossa dignidade trabalhista e humana esteja garantida”, disse a sindicalista.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Ainda de acordo com Edilza, a manifestação também tem por objetivo conscientizar a população para o problema que os servidores estão enfrentando por conta dos constantes atrasos no pagamento de salários e o aumento da carga horária de trabalho de seis para oito horas.

“Os servidores estão insatisfeitos recebendo com atraso há vários meses e não temos cronograma de dia para recebimento. Ou seja, trabalhamos e nunca sabemos o dia certo de pagamento. E a lei é clara: o pagamento tem que ser feito até o quinto dia útil do mês subsequente”, afirma Edilza.

Advertisement
Publicidade