Saúde

Nutricionista e mãe dão dicas de como preparar uma lancheira saudável para os filhos

COMPARTILHE
19427

por Pedro Menegheti

Asma: como tratar e prevenir a doença

A mudança repentina do clima, e a variação da temperatura causam alguns desconfortos no...

Cerca de 23 milhões de brasileiros possuem transtornos mentais

Dados recentes divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 23 milhões de...

Governo estuda retomar gotinha contra pólio

Retirada pouco a pouco de uso, a vacina oral contra a poliomielite poderá ser...

Os pais costumam ficar cheios de preocupações e dúvidas quando o assunto é alimentação dos filhos na escola. Afinal, o que enviar para o lanchinho? Conseguir com que a criança tenha uma alimentação 100% saudável não é uma tarefa nada fácil. Pois qual criança adora comer cenoura no lugar da bolacha recheada?

Para a nutricionista Fernanda Feitas de Brito, 27 anos, a maior dificuldade que pais e nutricionistas enfrentam é a oferta de alimentos que não são saudáveis nas escolas, tanto nas públicas quanto nas particulares. “Todas elas oferecem, em média, 80% de alimentos não saudáveis. Por exemplo, algumas escolas não colocam salgado frito, mas tem salgado assado que vai ter massa do mesmo jeito. Salgados que têm bacon, salsicha, que é um produto ultra processado rico em sódio e em carboidrato simples, e aquele monte de trigo, não vai ser bom para a criança”

Continua depois da publicidade

É recomendado ainda, segundo a profissional, evitar achocolatados, sucos de caixinha tipo néctar ou com adição de açúcar e conservantes e refrigerantes. A lista de proibitivos ainda tem frituras, biscoitos recheadas, cereais matinais infantis ou os salgadinhos de pacote.

“Sempre tem opção de biscoito, chips, bala… tudo que é industrializado não é recomendado para essa faixa etária pré-escolar até a adolescência. Acho que a maior dificuldade nossa é conscientizar as escolas a diminuírem esse consumo”, comenta a especialista.

Alternativas

Para a criança não enjoar com lanches repetitivos, os pais precisam buscar alternativas para tornar a refeição mais atrativa, aponta Fernanda. Com isso, além de preparar alguns alimentos com antecedência, é possível congelar outros, como polpa de frutas para o suco natural, por exemplo.

A jornalista Sabrina Canal, 36 anos, é e mãe de Thiago, 5 anos, e Luíza de 1 ano e 7 meses. Ela conta que desde que os filhos começaram a se alimentar, com seis meses, na fase da introdução alimentar, sempre se preocupou muito em oferecer uma alimentação saudável para eles.

“Na lancheira, o mais difícil é variar, ter a criatividade para fazer diferente todos os dias para o seu filho e mantendo uma alimentação saudável. No caso do Thiago, eu não tenho essa preocupação porque sei que a alimentação da escola já está toda feita por uma nutricionista especializada. Mas, para Luiza, sou eu que faço. Então, cozinho a comida dela todos os dias e tento mandar legumes diferentes. Arroz, feijão e carne vai ter sempre, mas sempre tento variar na questão dos legumes, cozinho alguma coisa diferente todos os dias”, diz a mãe.

Os bolos podem ser feitos em casa, sem recheio e cobertura. Para isso, congele pequenas porções embrulhadas em filme plástico. Se preferir fresco, eles duram até cinco dias. O bolo caseiro é uma ótima substituição aos bolinhos industrializados. Essa dica vale também para os biscoitos caseiros.

Quando perguntado sobre o que mais gosta de comer na escola, Thiago disse uma resposta pouco incomum para crianças da idade dele. “Gosto de maçã, suco de laranja, suco de limão, bolo de chocolate e biscoito branco. Eu acho que é só isso!”, afirmou.

A nutricionista Fernanda recomenda preparar os lanches em casa com coisas que não são difíceis para os pais. “Ficaria mais em conta para a família. Se antes dava dinheiro para o filho comprar lanche no colégio, faça um sanduíche integral em casa. Por exemplo, coloque um queijo, salada ou faça um patê de frango ou de atum. Coloque uma fruta junto desse lanche. Em alguns dias da semana pode até colocar um bolo, mas junto desse bolo coloque alguma opção proteica”, recomenda.

Se não tiver tempo, é permitido recorrer ao suco em garrafa de uva tinto integral e a água de coco. Hoje já existem versões mais saudáveis. Tudo deve ser consumido com moderação. É preciso ficar atento ao rótulo para evitar corantes, acidulantes, sódio e açúcar.

No caso das frutas, coloque na lancheira opções além das tradicionais banana, maçã e pera. Apesar de serem práticas, o ideal é diversificar o cardápio. Então, uva, morango, manga, abacaxi, melão ou melancia cortadas em cubinhos ajudam a variar e as crianças adoram. Salada de frutas também é uma opção. Se a criança gostar de frutas secas, como o damasco, ou oleaginosas, elas podem ser incluídas na lancheira.

Para a Fernanda, a educação nutricional vem dos pais. Eles são inteiramente responsáveis pelo que o filho vai comer. “Essa educação vem de berço, desde a introdução alimentar, nos primeiros anos de vida da criança. Se a criança não gosta de fruta, pode-se tentar reformular isso de outra maneira como uma salada de frutas e colocar um pouco de mel e granola. Fazer com que o lanche fique bonito e atrativo é o que vai fazer toda a diferença. Quando as crianças têm hábitos alimentares bons, o coleguinha da escola percebe isso e acaba pedindo aos pais para mudarem os hábitos alimentares também!”.

Como preparar a lancheira

Nada de bisnaguinha na escolha dos pães. Troque-os por pãezinhos de cenoura, beterraba, de milho ou integral, vendidos em padarias e supermercados. Ajudam na hora de intercalar com o pão de forma. Aliás, eles têm mais nutrientes pois são preparados com ingredientes mais saudáveis ou naturais. Pão de queijo integral também é um bom lanchinho, assim como os pães sírios e de wraps.

Para rechear, prefira requeijão ou patês de atum e frango. Cottage e ricota também ficam ótimos como base nas preparações de patês. Os patês duram até quatro dias na geladeira. Dá até para usar uma carne assada que sobrou do almoço de domingo com salada.

Embutidos (presunto, salame, salsicha, mortadela, peito de peru) devem ser evitados, mas se não tem escolha, opte pelo peito de peru para substituir o presunto. Contém menos gordura. Mas, ainda assim, prefira rechear com os queijos brancos. São menos processados, também tem pouco sal e gordura em sua composição e, além disso, é fácil de encontrar. Tempere uma fatia de queijo minas (ou muçarela de búfala) com azeite e orégano ou até com um molho pesto que já deixa o sanduíche mais gostoso.

Saladas e vegetais também são uma boa pedida para colocar na lancheira. Omeletes assados, tomates-cereja e as cenouras baby se tornam um lanche nutritivo. Outra versão saudável é mandar milho.

Publicidade