Cidades

Família de Ibatiba pede ajuda para tratamento de menina de 2 anos com câncer raro no olho

COMPARTILHE
Divulgação
9134
Advertisement
Advertisement

Uma família de Ibatiba está pedindo ajuda para o tratamento da pequena Ana Laura, de dois anos e três meses, diagnosticada com um câncer raro no olho esquerdo.

Continua depois da publicidade

Um dos exames que precisa ser feito custa R$ 4 mil reais. Uma vaquinha virtual foi criada pela mãe da menina e qualquer ajuda pode ser depositada.

A Associação Comercial do Município também está se mobilizando e pedindo ajuda aos comerciantes locais. O exame será realizado nesta terça-feira (17) no Hospital Santa Rita, em Cariacica.

De acordo com a mãe da criança, Viviane de Araújo Belo, a filha foi diagnosticada com neoplasia intraocular, um câncer raro no olho, que atinge principalmente crianças que nasceram prematuramente.

Continua depois da publicidade

Ana Laura masceu com 34 semanas e, segundo a mãe, sempre apresentou lacrimação nos olhos. Porém, a pediatra que atendia a menina nunca notou nenhuma anormalidade alegando apenas uma alergia.

Há três meses, no entanto, Ana Laura teve uma conjutivite e, logo após, a mãe percebeu que o olho esquerdo estava com um brilho diferente.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A mãe procurou outro médico que fez o diagnóstico do tumor e a encaminhou com urgência para novos exames. Com os resultados em mãos, eles seguem para São Paulo para fazer o tratamento que não é realizado no Espírito Santo.

Ana Laura mora com a mãe, o pai Eziel Silveira dos Santos e mais dois irmãos. Eziel trabalha como pedreiro e família passou a morar em Caricica para poder cuidar da saúde da criança.

A vaquinha virtual para ajudar no tratamento de Ana Laura pode ser acessada pelo endereço https://www.vakinha.com.br/vaquinha/tratamento-da-ana-laura-viviane-araujo-belo.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].