Geral

Direito de Resposta

COMPARTILHE
55
Advertisement
Advertisement

Meus caros munícipes e amigos,

Maia critica manipulação de dados da pandemia pelo Ministério da Saúde

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou do governo federal o...

Dados sobre Brasil chegam a ficar fora do ar do site da Johns Hopkins

Informações sobre o Brasil deixaram de aparecer no site da Universidade Johns Hopkins, referência...

Defensoria pede na Justiça divulgação diária de dado integral sobre covid até 19h

A Defensoria Pública da União (DPU) entrou, neste sábado, 6, com um pedido de...

 

Pela primeira vez em minha vida pública preciso valer-me incisivamente de um direito de resposta. Como já é do conhecimento de todos fui agredido na data de 29 de julho de 2019, pela notícia exposta no sítio eletrônico www.aquinoticias.com, que faz parte do grupo jornalístico de comunicação Folha do Caparaó, pelo jornalista Wanderson Amorim, informação de suposta atitude minha, que atenta contra a minha moral, a minha honra, a minha reputação, a minha idoneidade e o meu nome como cidadão vendanovense.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Na matéria, cujo título foi “Braz disse que nem morto queria voltar na comunidade de São João de Viçosa, em Venda Nova; veja outros destaques de hoje”, o jornalista assim se manifesta:

 

Vaiado em São João de Viçosa

Advertisement

Familiares disseram à coluna que Braz não foi sepultado em São João de Viçosa, em Venda Nova, por conta de seu descontentamento. Recentemente, ao anunciar uma quadra para a comunidade foi vaiado pela oposição, sob o comando do ex-prefeito Dalton Perim. Ele disse que não voltaria na comunidade nem morto. Por isso foi sepultado em Alegre, num cemitério no alto de um morro, à beira de um barranco, numa sepultura simples.

 

No entanto, o que se vê na referida matéria jornalística, lamentavelmente, é uma tentativa rasa de tentar incriminar a minha pessoa com a expressão “sob o comando do ex-prefeito Dalton Perim”, o que acabou induzindo ao leitor ao erro e ao entendimento equivocado.

 

Ora, ao frisar esta expressão, o jornalista leva o leitor a uma conclusão equivocada da matéria, uma vez que não existe provas e nem meios de provas para atribuir à minha pessoa as vaias sofridas pelo Sr. Braz Delpupo.

 

Cumpre registrar que neste período, encontrava-se em viagem com minha família e outros amigos fora do país, desconhecendo qualquer ação e/ou movimento contrário ao ex-prefeito Braz Delpupo.

 

De forma incompreensível, neste meio de comunicação, a matéria afirma um fato com o objetivo de macular a minha reputação.

 

Toda a comunidade de Venda Nova do Imigrante me conhece, e sabe que jamais faria isso.

 

Sempre estive na presidência de entidades e associações e anos no mandato da vida pública, nunca fazendo uso de mentiras e promessas mirabolantes, pois me pauto na lisura e na obediência às leis regentes.

 

Termino estas palavras dizendo que não sou irresponsável com as minhas coisas e com a coisa pública, na certeza de que qualquer palavra escrita em matéria jornalística seja provada e comprovada, sob pena de ferir imagem de pessoa de bem que possui família, educação e respeito pelas pessoas.

 

Venda Nova do Imigrante-ES, 13 de setembro de 2019.

 

 

DALTON PERIM

Ex-prefeito de Venda Nova do Imigrante

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.