Geral

Dentista deverá indenizar mulher que perdeu os dentes durante tratamento no ES

COMPARTILHE
732
Advertisement
Advertisement

Um dentista foi condenado a pagar mais de R$ 30 mil em indenizações a uma paciente que teve perda de dentes após realizar uma série de intervenções odontológicas. Na ação, a mulher alegou que o tratamento também teria ocasionado uma parestesia irreversível, que é caracterizada pela dormência ou formigamento de determinada parte da boca. A decisão é da 6ª Vara Cível de Vila Velha.

Estado do Rio já tem mais de 5 mil mortes por covid-19

O Estado do Rio de Janeiro registrou 223 mortes por covid-19 e 3.067 novos...

Capes prorroga financiamento de pesquisas interrompidas por causa da pandemia

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) prorrogou para até três...

Moradores ateiam fogo em alojamento de contaminados pela covid na BA

Moradores do povoado de Angico, na cidade de Campo Alegre de Lourdes, divisa da...

De acordo com a vítima, ela foi diagnosticada com retração gengival e, por isso, procurou o dentista. Como forma de tratamento, ela se submeteu a uma série de procedimentos cirúrgicos com a promessa de que seu problema seria resolvido.

Porém, segundo a mulher, em virtude do serviço mal prestado, acabou perdendo os dentes. Após procurar outro profissional, ela também descobriu que estava com parestesia irreversível, também decorrente do tratamento.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Em virtude do ocorrido, ela pediu a condenação do dentista ao pagamento do valor do tratamento devidamente corrigido, bem como por danos morais.

Em contrapartida, o dentista alegou que não realizou nenhum procedimento cirúrgico ou de implante que possa ter causado maiores problemas de saúde à requerente. Ele também afirmou que os problemas que a vítima possui foram pelo abandono do tratamento, visto que não queria pagar outros valores e serviços.

Em decisão, a juíza destacou que a relação entre as partes é de consumo e ressaltou os documentos anexados aos autos. “Pelos documentos juntados […] é possível subtrair que de fato a autora fora submetida a tratamento de odontologia junto ao requerido e este no recibo que emitiu faz esclarecer que realizou cirurgia de enxerto ósseo e mucoso, além de ter colocado próteses sobre implantes dentários, tendo recebido a importância de R$ 10.500,00”, afirmou.

Desta forma, a magistrada não acolheu os argumentos defendidos pelo dentista. “Segundo documentos juntados verifico que a autora fora submetida por muito tempo a um tratamento junto ao requerido, sem êxito. Pelo contrário, após o tratamento fora diagnosticada por parestesia irreversível e perdas de dentes, o que por si só gera dano à moral”, justificou a juíza.

Advertisement

Assim, em sentença, a magistrada condenou o requerido ao pagamento de R$ 20 mil em indenização por danos morais e R$10.500,00 a título de dano material. Ambos os valores devem ser corrigidos e acrescidos de juros.

Fonte: TJES

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.