Esporte Nacional

Seleção feminina para no bloqueio da China e perde mais uma na Copa do Mundo

COMPARTILHE
24
Advertisement
Advertisement

Após ser derrotada pelos Estados Unidos na última quinta-feira, a seleção brasileira feminina de vôlei parou no bloqueio da China na madrugada deste domingo, em Sapporo, no Japão, e conheceu sua terceira derrota em seis jogos na Copa do Mundo.

Único sem pontuar na retomada, Schalke tenta frear crise que ameaça seu status

Um dos três clubes alemães listados pela consultoria KPMG entre os 32 mais valiosos...

Rio Motorsports critica suspensão da audiência de autódromo: 'Desalento'

O diretor executivo da Rio Motorsports, JR Pereira, criticou a decisão da Justiça do...

Curtindo nascimento da filha, Varejão revela desejo de jogar por mais um ano

Longe das quadras de basquete desde 9 de setembro do ano passado, quando defendeu...

A equipe treinada por José Roberto Guimarães fez um bom jogo, mas não resistiu ao poderia do rival asiático, que lidera a competição com 17 pontos, e perdeu por 3 sets a 2 – com parciais de 25/23 23/25 22/25 25/19 e 15/9. Além da China e Estados Unidos, o Brasil já havia sido superado pela Holanda no torneio.

Com o novo revés, o Brasil tem nove pontos e estacionou na sexta colocação da Copa do Mundo, que é disputada em pontos corridos após 11 rodadas. A equipe brasileira está atrás de China, Estados Unidos, Rússia, Holanda e Sérvia na tabela de classificação.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A seleção feminina tenta a reabilitação na competição diante da República Dominicana. O duelo será nesta segunda-feira, às 0h30 (horário de Brasília). Na sequência, o adversário será o Japão, no último duelo em Sapporo. Em Osaka, os últimos três jogos na Copa do Mundo serão contra Camarões, Coreia do Sul e Rússia.

“Do início ao fim do jogo nossa equipe teve uma outra atitude. Estou orgulhoso da maneira que jogamos os cinco sets. A China é a atual campeã olímpica e tem um grande time. Espero que amanhã contra a República Dominicana tenhamos a mesma postura em quadra”, avaliou José Roberto Guimarães.

Em quadra, o jogo em Sapporo foi equilibrado. A seleção brasileira, escalada com Macris, Lorenne, Drussyla, Gabi, Mara, Bia e a líbero Leia – entraram Roberta, Sheilla e Amanda – teve bons momentos na partida e chegou a abrir 2 a 1, mas não conseguiu sustentar a vantagem diante da forte defesa adversária.

O que fez a diferença a favor das chinesas foi o bloqueio, responsável por dar 17 pontos para as asiáticas na partida, boa parte deles anotados nos últimos dois sets. As brasileiras marcaram apenas sete pontos nesse fundamento.

Individualmente, a China contou com o brilho de Ting Zhu e de Xinyue Yuan, que marcaram 26 pontos cada uma. O destaque do time brasileiro foi a ponteira Gabi, que marcou 20 pontos na partida. A central Mara e a oposta Lorenne também foram bem e contribuíram com 17 e 16 pontos, respectivamente. Gabi lamentou o resultado, mas exaltou a postura do time em quadra.

“Apesar da derrota estou muito orgulhosa do nosso time. É difícil jogar contra a China. Hoje é um dos melhores times do mundo e tem a Zhu fazendo a diferença em momentos importantes. Nossa equipe teve uma atitude completamente diferente na partida e cresceu bastante. Tivemos agressividade no ataque e todo mundo conseguiu jogar bem”, disse a ponteira.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.