Política Nacional

RenovaBR nega que Jorge Paulo Lemann seja um de seus financiadores

COMPARTILHE
10

O RenovaBR negou, por meio de nota, que o empresário Jorge Paulo Lemann seja um de seus financiadores. Segundo texto enviado pela assessoria de imprensa do movimento, a lista com todos os doadores está aberta no site renovabr.org.

Bozzella (PSL-SP) diz que Eduardo deve ser suspenso por ofensas ao partido

O PSL deve suspender Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de suas funções partidárias e, com isso,...

Gilmar troca prisão de doleiro foragido da Câmbio, desligo por fiança de R$ 5 mi

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes determinou, nesta sexta, 18, que...

Luiz Lima (PSL-RJ) deve ser reconduzido à vice-liderança do partido, diz Bozzella

O deputado Luiz Lima (PSL-RJ) foi destituído ontem da vice-liderança do partido na Câmara...

O esclarecimento vem após o jornal britânico Financial Times, em matéria sobre os choques do RenovaBR e outros movimentos similares com os tradicionais partidos políticos do País, citar Lemann como um dos financiadores do movimento, com a informação reproduzida pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

A matéria do FT escolheu, para conduzir o texto, a deputada Tabata Amaral, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), denominada um “respiro de ar fresco” para muitos brasileiros moderados, exaustos pelas constantes controvérsias em torno do presidente Jair Bolsonaro.

Continua depois da publicidade

A publicação descreveu que a parlamentar de 25 anos é formada em Harvard e emergiu nos últimos meses como uma estrela em ascensão da política brasileira e um contraponto ao presidente Jair Bolsonaro. Explicou também que faz parte do RenovaBR, uma organização que se autodenomina uma escola de treinamento apartidária, com o objetivo de criar uma nova geração de políticos brasileiros éticos, imaculados pela corrupção e pelo sistema partidário cínico brasileiro.

O FT identificou o movimento como “uma das forças políticas mais poderosas do País” desde que os escândalos da Lava Jato abalaram o Brasil e prevê um desempenho “importante” nas eleições municipais.

A crescente popularidade do grupo, no entanto, colocou-o em rota de colisão com os partidos tradicionais, de acordo com o veículo britânico. As siglas temem que os parlamentares eleitos com o apoio do RenovaBR sejam leais ao movimento, e não ao partido.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade