Segurança

PC desarticula organização criminosa que fornecia cocaína de Rondônia para Cachoeiro

COMPARTILHE
25004

A Polícia Civil do Espírito Santo, por meio do Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc) de Cachoeiro de Itapemirim, desarticulou nesta terça-feira (13), uma quadrilha que fornecia cocaína do estado de Rondônia para o município. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão domiciliar e prisão preventiva expedidos pela 1ª Vara Criminal de Cachoeiro.

Polícia Civil recupera R$ 30 mil em produtos odontológicos roubados em Cachoeiro

Policiais da Delegacia de Investigações Criminais (Deic) de Cachoeiro recuperaram nesta terça-feira (15), materiais...

PRF apreende mais de dois quilos de haxixe na BR 262

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na manhã desta terça-feira (15), na BR 262,...

Motorista perde controle da direção e se envolve em acidente na Jones dos Santos Neves em Cachoeiro 

Um acidente registrado em uma das avenidas mais movimentadas de Cachoeiro de Itapemirim chamou...

As ações aconteceram nos bairros Vila Rica, Novo Parque, Teixeira leite e Baiminas, e, Cachoeiro, e na zona rural de Atílio Vivácqua. Foram detidos André Luiz Cansi, o “Gordo”, Carlos Alberto Barbosa da Silva, o “Betinho, Marcelo Brito Leal, Ruan Teixeira Griffo Vasconcellos e Alexandre Carvalho, o “Xandoca”.

De acordo com o titular da Denarc, delegado Felipe Vivas, a operação policial de hoje é o resultado da investigação policial denominada “RONDÔNIA”, que se iniciou em fevereiro do ano passado. O objetivo foi desarticular a organização criminosa conhecida como felps, que há anos fornecia o entorpecente para Cachoeiro.

Continua depois da publicidade

De acordo com a PC, o fornecedor da cocaína era Agostinho Felipe Conceição de Brito, morador de Ariquemes, em Rondônia. Ele foi executado a tiros no último dia 26 de julho, em sua cidade, quando estava com sua filha em um restaurante. Na ocasião, um motoqueiro se aproximou e disparou nove vezes contra Agostinho e fugiu do local.

Augustinho foi assassinado dentro de um restaurante na cidade onde morava

Ainda segundo as investigações, pelo menos 152 kg de cocaína foram enviados para o município. A carga é avaliada em mais de 3 milhões de reais, considerando o preço de atacado, podendo atingir cifras inimagináveis se comercializadas no varejo.

Os presos

Foram identificados como responsáveis pelo fornecimento da droga adquirida com Agostinho, André Luiz Cansi, o “Gordo”, Carlos Alberto Barbosa da Silva, o “Betinho e Marcelo Brito Leal, que é sobrinho de Agostinho.

Os presos que comandavam o transporte do entorpecente são Ruan Teixeira Griffo Vasconcellos e Alexandre Caravlho, o “Xandoca”.

Os detidos foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro.

 

Publicidade