COMPARTILHE
1267

A configuração de família vem mudando ao longo dos anos. Nos dias atuais, não apenas aquela formada por pai, mãe e filhos carrega essa denominação. Uma nova história vem sendo escrita por famílias compostas apenas por pai e filho (a), mãe e filho (a), avós e netos ou outra formação.

E nessa nova concepção, não é raro ver o pai assumindo sozinho a criação dos filhos. Tem se tornado cada vez mais comum encontrar casos de pais que pediram a guarda definitiva do filho ou requereram igualdade na hora da decisão judicial sobre com quem a criança iria ficar após um divórcio.

De acordo com a advogada Cyntia Gripp, que há 16 anos atua em diversas áreas como direito de Família, houve uma mudança significativa no cenário.  “Desde que me formei era muito normal e natural a mãe ficar com a guarda dos filhos. Ocorre que este cenário vem se modificando, pois, a cada dia, mais nos deparamos com o pai requerendo a guarda dos filhos”.

Continua depois da publicidade

 

 

Cyntia explica que os juízes passaram a levar em consideração exclusivamente o bem estar do menor. Em vários casos, por exemplo, no momento da decisão, as crianças (dependendo da idade) são ouvidas e seu desejo é levado em conta no momento da sentença do juiz.  “Assim pai e mãe, hoje, pela lei, estão no mesmo patamar de direitos” afirma a advogada.

Ter filho e ser pai

Um exemplo é o vendedor Roniê da Silva Costa, 38 anos, pai da Maria Clara, 8. Ele tem a guarda permanente da filha desde que ela era bebê. Ele conta que a mãe era impossibilitada de ficar com a menina e, por isso, logo formalizou sua vontade de manter a guarda unilateral.

Ele mora com a menina e os pais em Guaçuí e, desde os primeiros dias, os cuidados com aa filha são por sua conta. Da fralda ao banho, da escola aos passeios, a educação e os ensinamentos cristãos, tudo é feito por ele. “Até roupa eu compro pra ela! Mas sabe como é homem pra essas coisas né… Sempre atendo os pedidos dela e acabo não comprando o tamanho adequado e ela logo perde…” fala rindo, o pai da Maria Clara.

Roniê e Maria Clara adoram sair para passear e fazer atividades juntos/foto arquivo pessoal

É nessas horas que ele conta com a orientação da mãe e da irmã, que também ajudam nos cuidados com a menina. Mas ele garante que desde que a filha nasceu ele acompanha todos os passos e participa de todos os momentos.

“Graças a Deus tive uma excelente criação apegada aos valores cristãos e familiares e isso me ajuda muito na relação com a Maria. Ela é muito carinhosa e desenvolvemos um vínculo muito grande”, diz o pai.

Roniê explica que, apesar de morar com ele, Maria Clara tem livre acesso à mãe e a vê sempre que quer. Porém, a conexão criada entre pai e filha tem se fortalecido cada dia mais. Entre os programas preferidos da dupla está o de passarem o dia em uma pousada da cidade. “Almoçamos juntos e depois ela se diverte nos brinquedos. Um momento simples, mas cheio de significados para nós”, explica o pai.

Para ele é importante que os pais entendam cada vez mais a importância da presença deles na criação dos filhos e chama a atenção para outras questões. “Hoje a média de uma pensão que os pais pagam gira em torno de R$ 250,00 e isso não dá pra nada. Sei o quanto uma mãe sozinha sofre com esse valor porque realmente não dá pra custear as despesas de um filho e, mais importante ainda, é entender a importância da atenção, educação e presença em todas as fases dos nossos filhos”, reforça Roniê que destaca a sua história com a frase “Ter filho e ser pai”.

Guarda deles

A cumplicidade entre pai e filha é uma das histórias acompanhadas pela advogada Cyntia Gripp. “É lindo ver a relação dos dois, o cuidado dele e o carinho entre ambos”, conta.

A advogada relata afirma o número de pais que cuidam sozinhos dos filhos , apesar de não ter uma estatística oficial por ocorrerem em segredo de justiça, vem crescendo a cada dia. “Basta olharmos ao nosso redor e ver que não é difícil conhecer um caso de pai que tem a guarda dos filhos, o que antes era  muitíssimo raro”, explica Cyntia que já atuou em vários casos.

Sobre essa mudança de comportamento, a advogada opina como muito positiva, já que há pais tão amorosos e cuidadosos quanto às mães.

 

 

Publicidade