Opinião

Fé renovada

COMPARTILHE
465

Por Denise Vieira 

Cooperativismo: uma solução para a retomada do desenvolvimento do Brasil

Por Evair de Melo O Cooperativismo é mais que um conceito econômico, é uma filosofia...

Populismo não é ameaça - por Gaudêncio Torquato

O populismo se inspira em antagonismos: as demandas das massas contra interesses de elites...

Milícia: o vácuo do Estado gera o poder paralelo

As milícias vêm tomando conta dos noticiários político e policial do País. Descritas nominalmente...

 

 

Continua depois da publicidade

Hoje não vou falar do passado longínquo, mas do recente. Durante a Quaresma deste ano adotei uma proposta diferente dos anos anteriores. Buscava por uma atitude que me levasse a uma experiência ainda mais íntima com Deus. Decidi, então, que participaria da missa ou à celebração todos os dias, de segunda a segunda, sob sol ou chuva. Quando não era possível me deslocar até a Igreja, o meu combinado era rezar pelo menos dois terços, ou seja, 50 Aves Maria e alguns Pais Nossos etc.. Assim fui seguindo o meu propósito.

A adaptação de mais uma atividade à rotina, confesso, foi meio trabalhoso. Acordar, fazer café, por a mesa, dar atenção ao meu marido e ainda chegar no horário ao trabalho não foi muito fácil. Era uma correria que só! Mas nada que justificasse ou impedisse de realizar a minha meta.  Estava focada. E como tudo na vida a gente se adapta, com o passar dos dias, foi se tornando muito prazeroso.  Da Igreja saía fortalecida, cheia de coragem. Renovada.

Fui descobrindo pessoas que assim como eu estavam na igreja, sabe lá Deus por quais motivos. Vi algumas abatidas, tristes, mas também vi gente feliz demais. Neste período também conclui que participando das celebrações na minha comunidade, fortalecia os vínculos da minha família com os nossos vizinhos o que gerava excelentes frutos.

Para além desta prática, trabalhar no Hospital Evangélico também serve para fortalecer a fé. Nos nossos eventos temos sempre uma Palavra Pastoral movida de muita emoção. Quando contamos com a presença dos pacientes, a experiência é ainda mais significativa.

Mas devo finalizar mostrando uma atitude que seria por 40 dias se tornou um hábito. Aqui merece uma ênfase aos padres e fiéis da Matriz Velha que nos fazem curvar a cabeça, por a mão no coração e ter a fé constantemente renovada.  E o mais importante colocar em prática a fé que nos faz evoluir como humanos, nos espiritualizando.

Publicidade