Especial

Dia do Maçom: um trabalho em silêncio em prol da sociedade, visando o bem de todos

COMPARTILHE
706

Uma sociedade que envolve muitos mistérios e prega o bem. Assim é a maçonaria, que celebra nesta data o Dia do Maçom.

As tristezas e superações de um pai de primeira viagem

Com a colaboração do jornalista Pedro Menegheti Domingo é o Dia dos Pais, data importante...

Geração atual tem pouco contato com a natureza, alertam especialistas

/com informações Agência Brasil   "Uma nuvem de calças". Foi assim que o jornalista e tradutor...

“Os homens que trabalham na segurança pública estão desmotivados”, afirma Alexandre Quintino

Com base eleitoral principalmente no Sul do Estado, o Coronel Alexandre Quintino (PSL) obteve...

Comemorado em todo o País, a data comemora de forma simbólica a importância dos maçons durante toda a história do Brasil. Como o Maçom possui uma função essencial a busca pela verdade, a liberdade, a democracia, a fraternidade e a igualdade, tornou-se então considerada uma sociedade filosófica, já que também trabalha com o aperfeiçoamento intelectual de cada integrante. Atualmente, existem cerca de 6 milhões de maçons em todo o mundo. Deste total, 150 mil integrantes da maçonaria são brasileiros.

Há 15 anos na maçonaria, o empresário Daladyer Wichchello Borges Morandi, 44 anos, participa hoje de uma loja maçônica em Guaçuí e outra em Cachoeiro de Itapemirim. Ele relata que os membros se reúnem uma vez por semana, e neste encontro não se discute fanatismos, religião, nem partidarismo político.

Continua depois da publicidade

“O foco sempre é o aperfeiçoamento moral e intelectual do homem, fazer o bem a humanidade e ajudar aqueles que mais precisam, sempre visando o bem da sociedade num todo”, explica Daladyer.

A solidariedade é um ponto forte. A maçonaria realiza trabalhos de cunho social, desde serviços sociais, apoio a entidades paramaçônicas (demolays, FRAFEM, APJ e Filhas de Jó), que são entidades de jovens mantidas pela maçonaria, até mesmo serviços junto à presidência do Brasil. O vice-presidente do Paía, Antônio Hamilton Martins Mourão, também é Maçon.

Fraternidade

Outra vertente bastante pregada é a fraternidade entre os membros da maçonaria. Consiste, em sua essência, em educar, instruir, corrigir os defeitos e ser tolerantes com as crenças de cada integrante. A maçonaria ensina a dar e não a pedir, sem justa necessidade.

“Entre nós, não existe diferença de classe social, política ou religiosa.  Todos somos irmãos e tratados com extrema igualdade. Com relação aos benefícios, posso resumir na mais simples harmonia entre os homens, da forma em que deveria ser no mundo inteiro, sem interesses ou vaidades”, diz o empresário.

A relevância da maçonaria é pouco retratada. Os maçons tiveram importantes papéis em grandes processos retratados na história do Brasil e do mundo. No Brasil, as maiores revoluções foram lideradas por maçons, como José Bonifácio, Floriano Peixoto, Deodoro da Fonseca, Barão do Rio Branco, Euzébio de Queiroz, entre outros.

“A história da maçonaria, vai muito mais além do que o público conhece, como, por exemplo, as independências dos Estados Unidos através de George Washington e do Brasil com D. Pedro, ambos eram maçons e Grãos-Mestres. A Maçonaria sempre trabalha em silêncio em prol da sociedade, visando o bem de todos, sem nenhum interesse financeiro ou de qualquer espécie”, destaca Daladyer.

Publicidade