Esporte Nacional

Após boa estreia, Ceni exalta atletas: 'Foram os melhores caras que poderiam ser'

COMPARTILHE
12

Depois da estreia positiva no comando do Cruzeiro, ao vencer o líder Santos, por 2 a 0, o técnico Rogério Ceni fez questão de render créditos e rasgar elogios a todos dentro do clube por esta sua primeira vitória. Ele enalteceu o apoio da torcida e até brincou com o fato de não ter sido vaiado pela primeira vez no Mineirão. E deu méritos aos jogadores por esta importante vitória, que acabou com uma série de nove jogos sem triunfos, sendo que, no Brasileirão, o jejum era de 11 partidas.

Klopp reduz favoritismo do Liverpool ao apontar City como 'melhor time do mundo'

Um dia antes de o Liverpool estrear nesta próxima edição da Liga dos Campeões...

Com 'virada relâmpago', Operário vence Ponte Preta e dorme no G4 da Série B

Com dois marcados em um intervalo de apenas quatro minutos na noite desta segunda-feira,...

'Nunca trabalhei em um grupo igual a esse', diz Luxemburgo sobre o time do Vasco

Embora tenha treinado e conquistado vários títulos com diversos times fortes que dirigiu ao...

“Apesar do momento difícil, existe um astral muito positivo dentro do clube, desde os funcionários, aos jogadores e a todos de forma geral. Termos 45 mil torcedores nos apoiando é algo importante e achei incrível que pela primeira vez não fui vaiado, o que sempre acontecia nos meus tempos de jogador. O time saiu aplaudido porque mereceu”, apontou Ceni.

Em seguida, ele abriu um espaço para elogios os jogadores que, segundo o técnico, superaram as suas expectativas. “Os jogadores foram os protagonistas. Eles foram os melhores caras que poderiam ter sido hoje. É sinal de que a qualidade existe no elenco, mesmo porque os caras são diferentes”, disse Ceni, ressaltando ainda que muitos dos jogadores que estão ali, ainda recentemente, conquistaram vários títulos pelo clube.

Continua depois da publicidade

“É preciso respeitar a história de cada um deles. Nos corredores do clube a gente vê os nomes e fotos deles com conquistas importantes em 2013 e 2014 e, agora, em 2017 e 2018. É preciso ter respeito para tudo que foi conquistado por eles defendendo a camisa do Cruzeiro”, completou.

Em relação ao jogo, Ceni reconheceu que a situação ficou mais fácil após a expulsão precoce de Gustavo Henrique, logo no primeiro minuto de jogo. “A partir daí eu mudei o time, colocando o Fred para ter um homem de referência lá dentro da área. Ele estava no banco e não reclamou de nada. Entrou e deu conta do recado. Como fiz a mudança até pedi desculpas para o Egídio, mesmo porque não costumo mudar desta forma. Foi uma necessidade”, justificou.

Para o técnico, a posição do Cruzeiro ainda não é condizente com a grandeza dele na história do futebol brasileiro. “Mas vamos trabalhar jogo a jogo. O time vai evoluir e voltar a dar alegrias para a torcida. Esta semana nem tivemos tempo de treinar, o que vai acontecer agora nas próximas rodadas”, concluiu. Após o término da 15ª rodada, o Cruzeiro deixou a zona de rebaixamento e agora soma 14 pontos e ocupa a 16ª posição.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade