Internacional

China condena apoio de parlamentares norte-americanos a protestos em Hong Kong

COMPARTILHE
9
Advertisement
Advertisement

Um porta-voz da legislatura cerimonial da China condenou declarações de legisladores dos Estados Unidos que apoiam o movimento pró-democracia de Hong Kong, após um sábado de manifestações opostas que marcaram a divisão política no território chinês. You Wenze chamou os comentários dos legisladores de “uma violação grosseira do espírito do Estado de direito, um caso flagrante de dois pesos, duas medidas e uma interferência grosseira nos assuntos internos da China”. Ele disse que os 7,5 milhões de habitantes de Hong Kong e a população chinesa rejeitam as ações de “um grupo muito pequeno de manifestantes violentos”, assim como “qualquer interferência de forças estrangeiras”.

Rússia critica EUA e Reino Unido por interferirem em questão de Hong Kong

O governo da Rússia criticou os Estados Unidos e o Reino Unido por organizarem...

George Floyd tinha covid-19, indica autópsia

George Floyd, morto por um policial em Minneapolis, na semana passada, teve covid-19 no...

Pesquisas colocam Trump em situação difícil em Estados-chave

Donald Trump vive o momento mais crítico de seu mandato. Além da convulsão social,...

You não mencionou nenhum legislador específico, mas vários membros do Congresso dos EUA, incluindo a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmaram o compromisso dos EUA com os direitos humanos e conclamaram o governo de Hong Kong a acabar com o impasse. O Congresso também tem o poder de aprovar legislação que afete a relação do governo de Hong Kong com os EUA de maneiras que poderiam erodir ainda mais a reputação de estabilidade e o Estado de direito no território.

Isso inclui a recente reintrodução do projeto de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong no Congresso, que, entre outras disposições, exige que o Secretário de Estado emita uma certificação anual da autonomia de Hong Kong para justificar o tratamento especial concedido à cidade. Mais diretamente, o presidente Donald Trump poderia simplesmente emitir uma ordem executiva suspendendo o status de negociação especial de Hong Kong com os EUA, uma medida que poderia ter um efeito devastador na economia local em uma época em que Pequim e Washington travam uma guerra comercial. Fonte: Associated Press.

Advertisement
Continua depois da publicidade

AE
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.