Internacional

China condena apoio de parlamentares norte-americanos a protestos em Hong Kong

COMPARTILHE
9

Um porta-voz da legislatura cerimonial da China condenou declarações de legisladores dos Estados Unidos que apoiam o movimento pró-democracia de Hong Kong, após um sábado de manifestações opostas que marcaram a divisão política no território chinês. You Wenze chamou os comentários dos legisladores de “uma violação grosseira do espírito do Estado de direito, um caso flagrante de dois pesos, duas medidas e uma interferência grosseira nos assuntos internos da China”. Ele disse que os 7,5 milhões de habitantes de Hong Kong e a população chinesa rejeitam as ações de “um grupo muito pequeno de manifestantes violentos”, assim como “qualquer interferência de forças estrangeiras”.

Suprema Corte do Reino Unido decide na terça se suspensão do Parlamento é legal

A Suprema Corte do Reino Unido informa que anunciará nesta terça-feira, 24, a partir...

Hong Kong restringe acessos a aeroporto

Hong Kong reduziu neste domingo as conexões ferroviárias e de ônibus com o aeroporto...

Trabalhistas britânicos se dividem em relação ao Brexit e pressionam Corbyn

Os trabalhistas britânicos, profundamente divididos, iniciaram no fim de semana um congresso difícil para...

You não mencionou nenhum legislador específico, mas vários membros do Congresso dos EUA, incluindo a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmaram o compromisso dos EUA com os direitos humanos e conclamaram o governo de Hong Kong a acabar com o impasse. O Congresso também tem o poder de aprovar legislação que afete a relação do governo de Hong Kong com os EUA de maneiras que poderiam erodir ainda mais a reputação de estabilidade e o Estado de direito no território.

Isso inclui a recente reintrodução do projeto de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong no Congresso, que, entre outras disposições, exige que o Secretário de Estado emita uma certificação anual da autonomia de Hong Kong para justificar o tratamento especial concedido à cidade. Mais diretamente, o presidente Donald Trump poderia simplesmente emitir uma ordem executiva suspendendo o status de negociação especial de Hong Kong com os EUA, uma medida que poderia ter um efeito devastador na economia local em uma época em que Pequim e Washington travam uma guerra comercial. Fonte: Associated Press.

Continua depois da publicidade

AE
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade