Economia

Apesar de mandado dos EUA, petroleiro iraniano pode deixar Gibraltar no domingo

COMPARTILHE
11

O petroleiro iraniano Grace 1, apreendido em Gibraltar em julho por forças britânicas e espanholas e liberado na última quinta-feira (15), deve deixar o território britânico neste domingo ou na segunda-feira. A informação é do diretor da Astralship, empresa responsável pela documentação do Grace 1, Richard De la Rosa.

Plataformas ajudam a projetar diversidade no mercado de trabalho

Superar barreiras sociais e garantir espaço no mercado de trabalho ainda é um desafio...

IIF: Incerteza prevalece em mercado de 'repo', mas liquidez de BCs tranquiliza

Ao passo em que a incerteza ainda prevalece nos mercados de empréstimos interbancários de...

'Mulheres não precisam ser perfeitas', diz ativista por computação feminina

A primeira programadora do mundo foi uma mulher, Ada Lovelace. A americana Grace Hopper,...

Nesta sexta-feira, a Procuradoria-Geral dos Estados Unidos disse ter um mandado para apreender o petroleiro, assim como a carga de 2,1 milhões de toneladas de petróleo iraniano a bordo e mais US$ 995 mil. Os americanos alegam que a Guarda Revolucionária do Irã engendrou um esquema ilegal para acessar o sistema financeiro dos EUA e enviar petróleo à Síria. Documentos indicam que o Grace 1 realizava viagens falsas e contava com companhias de fachada para lavar milhões de dólares.

Segundo De la Rosa, a embarcação pode estar navegando nas próximas “24 a 48 horas”, uma vez que novas tripulações, formadas por indianos e ucranianos, assumirão o comando do navio. Segundo ele, sua empresa não foi informada sobre o próximo destino da embarcação.

Continua depois da publicidade

Apesar das informações divulgadas pela Procuradoria-Geral dos EUA, não está claro se a apreensão do petroleiro poderia acontecer no prazo de 24 horas, já que autoridades de Gibraltar informaram que qualquer pedido para tomar o navio teria de passar pelos tribunais do território. Richard Wilkinson, advogado que representa membros da tripulação do Grace 1, disse duvidar que os EUA tenham alguma jurisdição para impor suas sanções em Gibraltar, onde viu “pouca vontade política” de apreender o navio.

A apreensão em julho por forças britânicas e espanholas em Gibraltar ocorreu pela suspeita de contrabando de petróleo iraniano a uma refinaria na Síria, o que violaria sanções dos EUA e da União Europeia. A embarcação foi liberada na quinta-feira após autoridades de Gibraltar informarem que o Irã se comprometeu a não transportar petróleo para a Síria.

A apreensão do petroleiro aumentou a tensão entre o Reino Unido e o Irã, que capturou um petroleiro de bandeira britânica no Estreito de Ormuz, em aparente retaliação. Analistas acreditam que a liberação do Grace 1 pode levar à liberação, também, do navio britânico. Fonte: Associated Press.

AE
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade