Variedades

Barão de Munchausen inspira peça sobre teatro

COMPARTILHE
14
Advertisement
Advertisement

O Barão de Munchausen é um personagem literário famoso pela grandeza de suas mentiras. Ele inspira A Verdadeira História do Barão, nova produção do grupo Nau de Ícaros que estreia nesta quinta, 15, no Teatro do Sesi-SP. A montagem mostra uma trupe de teatro itinerante, perdida pelo interior do Brasil, que tenta sobreviver encenando as histórias fantásticas do famoso personagem. Com isso, revela os truques do teatro, expondo os processos da criação, as trocas de figurino e adereços, a movimentação nas coxias.

Páginas da história

Antecipando as homenagens ao centenário da escritora Clarice Lispector, a TV Cultura preparou, para...

Atrações de peso

Em ritmo de fim de ano, o programa Altas Horas deste sábado, 14, terá...

Turma do barulho

A temporada 2020 do reality De Férias Com o Ex Brasil: A Treta Não...

“As mentiras do Barão são totalmente verdadeiras”, acredita Marcelo Romagnoli, responsável pela direção e dramaturgia. “Seu sonho não acaba nunca e sua maior sorte é poder acordar e inventar. Já as nossas mentiras, aquelas que nascem do medo, estas sim, merecem dosagem.” De fato, a figura de Munchausen transita entre a verdade e a mentira, o sonho e a realidade, o absurdo e o delírio para narrar fugas incríveis, fatos extraordinários, perigos assombrosos e encontros improváveis.

O desafio do grupo é o de encontrar a atenção do jovem espectador no momento em que as atrações tecnológicas são praticamente imbatíveis. “A melhor estratégia do incentivar é o ‘fazer junto’ ou ‘dar o exemplo'”, observa Marco Vettore, autor do argumento. “A solução está na criatividade e na imaginação. Por isso, nos inspiramos no Barão para chegar a novos imaginários pois, há mais de dois séculos, ele já pensava na imaginação como uma maneira de se resolver questões impossíveis.”

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Em um mundo dominado pela lógica, o Barão de Munchausen desponta como um herói romântico. “Para a maioria, o tempo ainda é aplicado na busca do essencial à sobrevivência e ao ego. Criamos uma civilização imediatista, concreta e mental”, observa Romagnoli. “A extraordinária capacidade fantasiosa do Barão subverte o real, entrega um respiro de imaginação e mostra todo seu poder de cura, porque oferece a liberdade e a liberdade é o melhor remédio para um mundo doente.”

A VERDADEIRA HISTÓRIA DO BARÃO

Teatro do Sesi-SP. Av. Paulista, 1.313. Sáb. e dom., 14h. Grátis. www.centroculturalfiesp.com.br

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ubiratan Brasil
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Publicidade