Internacional

Fernández: medidas de Macri são tardias e não consideram consequências

COMPARTILHE
9

O candidato oposicionista argentino Alberto Fernández, que venceu a chapa do presidente Mauricio Macri nas eleições primárias realizadas no último domingo, criticou as ações econômicas anunciadas hoje pelo atual presidente. “Acho que ele toma essas medidas tardiamente sem considerar as consequências”, afirmou em entrevista à rádio El Destape.

Forças curdas anunciam 'congelamento' de operações contra o Estado Islâmico

O líder das Forças Democráticas Sírias (SDF), braço da organização curda Partido dos Trabalhadores...

Trump diz que grupo curdo pode ser ameaça terrorista maior que Estado Islâmico

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira, 16, que o Partido...

Base para acordo do Brexit está pronta, diz Bruxelas; Johnson busca votos

As equipes negociadoras da União Europeia (UE) e do Reino Unido se encontram reunidas,...

Fernández, que tem como vice em sua chapa a ex-presidente Cristina Kirchner, acrescentou que “o presidente tenta incentivar o consumo, o que não é ruim, a questão é que a mudança é muito arriscada”. Ele também destacou o risco de ficar sem reservas. “Com essa demanda por dólares, ficaremos sem reservas livres”, afirmou.

Ele disse que Macri, que ficou 15 pontos porcentuais abaixo da chapa oposicionista nas eleições primárias, “está em um momento difícil e eu entendo isso, mas agora ele deve priorizar seu papel como presidente e não como candidato”. Ele também observou que “você pode dizer que ele Macri não está convencido do que está fazendo”.

Continua depois da publicidade

“É como o pai nosso que os ateus rezam antes de morrer, não dá certo”, argumentou Fernández.

Ele disse que “vou tentar ajudar o máximo que puder” o presidente, mas advertiu que “não faz sentido se reunir, porque se o presidente espera concordar comigo, é muito difícil, porque eu acredito em outro país”. Fernández ainda disse que “não quero me encontrar com Macri, não quero participar de suas decisões porque o povo fica sem opção”.

Monique Heemann
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade