Economia

Joice: se MP que destina R$ 3,5 bi à Eletrobras caducar, mandamos projeto de lei

COMPARTILHE
8

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou nesta terça-feira que o governo já conta com um plano B caso a Medida Provisória 879, que prevê um aporte bilionário à Eletrobras, perca sua validade. De acordo com ela, o Executivo pode enviar ao Congresso um projeto de lei sobre o mesmo tema com um pedido de urgência.

Petroleiros avaliam propostas de acordo coletivo da direção da Petrobras

Os empregados da Petrobras participam de um processo de consulta promovido pelos sindicatos para...

BB passa a oferecer taxas de acordo com prazo de financiamento imobiliário

O Banco do Brasil anunciou nesta terça-feira novas taxas para financiamento imobiliário, com taxas...

Bradesco diz que pode oferecer crédito imobiliário com IPCA, mas cita riscos

O diretor executivo e de Relações com Investidores do Bradesco, Leandro Miranda, disse que...

“Se a MP caducar, vem como projeto de lei com urgência e em duas semanas a gente resolve o problema. Esse é o plano B. Aproveita o texto, aproveita o relatório e vem para cá já com acordo de urgência, que já está pré-costurado com o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a gente aprova como projeto de lei”, disse.

A matéria precisaria ser aprovada por Câmara e Senado até a próxima quarta-feira (21), mas não deve entrar na pauta do plenário da Casa. Hasselmann, no entanto, destaca que, se houver acordo, é possível ainda votar a MP a tempo.

Continua depois da publicidade

A MP prevê que a União destine até R$ 3,5 bilhões para que a Eletrobras possa arcar com dívidas que “subiram” para a companhia – facilitando a privatização de suas seis distribuidoras no Norte e Nordeste, no ano passado, vendidas por um valor simbólico. A Petrobras, que tem recebíveis atrelados a essas operações – pois parte dessas dívidas é referente à compra de combustíveis – pode, em tese, até mesmo executar a Eletrobras em caso de inadimplência.

O relatório do senador Eduardo Braga (MDB-AM) foi aprovado no último dia 6 na comissão mista do Congresso. Braga acatou duas das 54 emendas apresentadas pelos parlamentares e acolheu parcialmente outras dez emendas.

Camila Turtelli e Mariana Haubert
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade