Política Nacional

Mário Bonsaglia, primeiro da lista tríplice para PGR, é recebido por Bolsonaro

COMPARTILHE
12

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se encontrou nesta terça-feira, 13, pela primeira vez, com subprocurador da República Mário Bonsaglia, nome mais votado na lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para a vaga de Procurador-Geral da República (PGR).

BC mantém os 11 conselheiros do Coaf na UIF

O Banco Central editou na tarde desta terça-feira, 20, duas portarias dispondo sobre o...

Justiça eleitoral condena Haddad por caixa 2 em 2012; petista pode recorrer

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) foi condenado por suposto caixa dois...

Maia e Doria dizem que PSDB e DEM estarão juntos em 2020 e 2022

O PSDB e o DEM devem se apoiar mutuamente tanto nas eleições municipais de...

Segundo Bonsaglia, o presidente colocou na reunião “preocupações dele com relação à área jurídica”. Sem citar detalhes, o candidato à PGR disse que entraram em pauta assuntos como preservação da Amazônia e direitos de minorias.

“Basicamente (o presidente falou sobre) a importância de compatibilizar preservação da Amazônia com desenvolvimento sustentável. Essa é minha posição também. (Ainda tratou da) factibilidade de proteger, respeitar direitos indígenas e, ao mesmo tempo, promover desenvolvimento sustentável”, disse Bonsaglia sobre a reunião.

Continua depois da publicidade

O presidente Bolsonaro tem recebido nomes cotados à PGR que estão fora da lista tríplice. Entre os cotados estão Augusto Aras, Paulo Gonet e Lauro Cardoso. A reportagem apurou que Bonsaglia é o único dos nomes da lista que tem chances de ser nomeado à PGR, de acordo com interlocutores do presidente.

Bolsonaro não teria dito quando escolherá o novo PGR, segundo Bonsaglia. O subprocurador afirmou que não foi assunto da reunião se o nome escolhido sairá da lista tríplice da ANPR.

Bonsaglia declarou que Bolsonaro tem “legitimidade para escolher (o novo PGR) em função das propostas que entende mais correta”. Segundo o subprocurador, Bolsonaro não fez “questionamento ideológico” no encontro.

O primeiro colocado da lista tríplice disse que não tratou com o presidente sobre reservas indígenas, mas afirmou que o MPF tem uma “instituição plural” que pode “desenvolver reflexões” compatibilizar direitos de povos tradicionais e exploração econômica sustentável.

Mateus Vargas
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade