Espírito Santo

Polícia Civil comprova irregularidades da EDP no Espírito Santo, diz deputado

COMPARTILHE
15587

Após denúncia encaminhada pelo Deputado Vandinho Leite – PSDB, a Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor, da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo instaurou um inquérito policial que comprovou irregularidades por parte da Concessionária EDP.

Inscrições abertas para concurso fotográfico 'As belezas que Anchieta viu'

Estão abertas as inscrições para o concurso fotográfico “As belezas que Anchieta viu”. O...

Pela primeira vez, Cosud reúne os sete governadores das regiões Sul e Sudeste

O Palácio Anchieta, sede do Governo do Estado do Espírito Santo, recebeu, neste sábado...

Inscrições para o concurso Miss Espírito Santo já estão abertas

As inscrições para o concurso Miss ES Baby, Mini, Mirim, Juvenil e Teen estão a todo...

Os três itens apontados como objetos de irregularidades por parte da EDP que aumentam a conta de luz do capixaba são a mudança de espessura do cabo, o tipo de material e a maior distância do relógio de medição, afirma o Deputado.

A denúncia tem como vítima morador de Feu Rosa, que não terá seu nome citado na matéria. No entanto, apesar de ser um caso específico, o Parlamentar acredita que estas fraudes têm sido praticadas de forma sistemática. Agora promete uma investigação conduzida pela Assembleia Legislativa,  para apurar o tamanho do rombo no bolso dos capixabas.

Continua depois da publicidade

O Deputado afirma que, de acordo com o laudo pericial, a EDP vem promovendo troca de cabeamento com espessura menor o que refletiria num aumento do valor da conta de luz “A EDP trocou a espessura do cabeamento de 25 mm² para o de 16 mm² o que gera aumento da conta de energia já que a potência de alguns locais é maior do que a capacidade do cabo instalado. Na prática encarece a energia, porque o cabo que é mais fino aquece mais, causando maior perda de energia”.

Outro ponto é o tipo de material, no caso analisado a Empresa trocou um cabo de cobre por um de alumínio. Ocorre que o Alumínio conduz aproximadamente 40% menos energia que o cobre, no entanto custa quatro vezes menos. “Ou seja, a Empresa diminuiu o seu custo, punindo o bolso do trabalhador com maior consumo de energia elétrica”, disse Vandinho.

O terceiro item listado pelo Parlamentar é a instalação do BTZERO que aumentou a distância do relógio de medição até a residência. “O laudo é claro. O consumo começa a ser calculado do poste até a entrada da casa do morador e toda a energia perdida nos cabos da rua, passou a ser cobrada”.

“O sistema BTzero está sendo perverso para a população, pois o consumidor regular já paga pela fraude na energia na sua tarifa e agora está sendo penalizado novamente, pagando pelo  furto também na medição.

Outro agravante, é que  com este sistema BTzero, caso ocorra uma tentativa de furto no poste, todos os moradores de uma rua ficarão sem energia na via pública. Mais uma vez, a Empresa transfere o ônus da atividade empresarial para a população, sem que haja a devida compensação financeira para tanto.

Vandinho acusa o sistema BTzero, adotado recentemente pela EDP, como o vilão do encarecimento da conta de luz,  e argumenta que sistema similar foi, inclusive,  proibido no Rio de Janeiro.

Publicidade