Segurança

PM apreende quase meio milhão de reais e ciganos são presos por suspeita de fraudes em cartões do INSS em Guaçuí

COMPARTILHE
Divulgação PM
7853

Policiais Militares do 3º Batalhão realizaram uma ação em cumprimento de determinação do Ministério Público que terminou com cinco ciganos presos, armas e cartões de benefício do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) apreendidos em Guaçuí. A ação aconteceu na manhã de hoje (11) em vários pontos do município.

Menor é apreendido com maconha e crack em Cachoeiro

A Polícia Militar apreendeu um menor com grande quantidade de drogas na tarde desta...

10ª CIA da Polícia Militar realiza solenidade de destaque operacional

Nesta quinta-feira (18) a 10ª Companhia Independente realizou uma solenidade em homenagem ao Destaque...

Acidente envolvendo dois carros e um caminhão deixa seis feridos na BR 101 em Itapemirim

Uma colisão entre dois carros e um caminhão deixou seis pessoas feridas no km...

Segundo o 3º BPM, a operação foi necessária pois diversas ocorrências envolvendo os ciganos na cidade de Guaçuí e nas proximidades estavam sendo registradas. Ainda segundo a PM, as denúncias envolvem ameaças com armas de fogo, estelionatos, ocorrências de trânsito, furtos na zona rural e perturbação do sossego.

Em um acampamento na rodovia BR 482, no residencial Alphavile, foram realizadas buscas em seis barracas, duas residências e doze veículos que se encontravam no local. Também foi vistoriado um acampamento atrás de uma cooperativa de laticínios.

Continua depois da publicidade

Ao todo, cinco armas foram apreendidas, sendo quatro revolveres (cal 32 e 38) e uma espingarda, além de munições de diversos calibres. No local, documentos suspeitos também foram apreendidos, como cartões de benefícios do INSS, CPFs, títulos de eleitores, carteiras de trabalho e RGs.

Mais 28 notas promissórias em nomes diversos e várias folhas de cheques de bancos variados totalizando mais de R$ 487 mil reais foram apreendidos na ação.

O cinco suspeitos foram encaminhados para a Delegacia de Alegre e ficaram à disposição da Polícia Federal para posterior investigação, já que os cartões benefícios são vinculados ao Governo Federal.

Publicidade