Variedades

Novas provas apontam que Edison Brittes convidou jogador Daniel para ter relações com a mulher

COMPARTILHE
9253

Os próximos passos do caso Daniel, processo que investiga a morte do jogador no ano passado, no Paraná, serão dados pela Justiça a partir de 13 de agosto deste ano, podendo se estender até o dia 15, com os depoimentos dos sete acusados pelo crime, incluindo os membros da família Brittes .

Booker Prize premia duas escritoras: Margaret Atwood e Bernardine Evaristo

O Booker Prize - um dos prêmios literários mais importantes do mundo - escolheu...

Crítico literário Harold Bloom morre aos 89 anos

O crítico literário norte-americano Harold Bloom morreu aos 89 anos em um hospital em...

Patricia Abravanel diz que marido tem de perdoar traição se houver arrependimento

O nome de Patricia Abravanel figurou nos trending topics do Twitter nesta segunda-feira, 14,...

Enquanto as audiências não acontecem, novas peças do quebra cabeça do caso Daniel apareceram na semana passada e podem, inclusive, mudar os rumos da investigação.

Uma perícia realizada no celular de Cristiana Brittes , mulher de Edison Brittes , o assassino confesso do jogador Daniel, mostra que a  moça pesquisou por casas de swing no Google alguns dias antes do crime.

Continua depois da publicidade

Casas de swing são locais onde acontecem trocas de casais para relações íntimas. E essa informação reforça a tese de que Edison teria chamado Daniel para dormir com Cris na manhã do crime, como informou uma testemunha logo após o assassinato, ainda em 2018.

Daniel mandou fotos ao lado de Crtistiana Brittes logo após gravar um áudio para amigo

O rapaz, que não foi identificado, disse ao programa Tribuna da Massa que  Edison teria convidado Daniel a manter relações sexuais com Cristiana naquela fatídica manhã, pouco antes do atleta ser morto.

Por usar muitas drogas, Edison teria surtado com a ideia e praticou o crime. “A família tem direito de saber que Daniel não tentou estuprar ninguém, ele realmente é inocente na história”, disse o entrevistado.

A defesa da família Brittes se apoia na questão de que Daniel teria tentado estuprar Cristiana Brittes enquanto ela dormia. E que a ação do marido da mulher seria por “legítima defesa”.

Briga feia e busca por divórcio

Cris e Edison Brittes estariam em pé de guerra

A perícia feita no celular de Cristiana Brittes constatou também que o casal não estava passando por um bom momento, com brigas e xingamentos via WhatsApp . Conversas realizadas pelo aplicativo mostram que Cris e Edison estavam em pé de guerra e que a mulher, inclusive, estaria buscando se divorciar do marido.

Em um trecho do bate-papo, Cristiana briga com Edison: “Vem logo para casa. Quem é essa mulher atrás de você. Que se f…, vou sair. Você não me merece! Você me paga! Desgraçado!”.

Na resposta, Edison foi bastante agressivo e fez até ameaças à esposa: “Eu odeio você. Não pise teu pé mais aqui por favor. Suma sua maldita. Espero que você morra”, disse o homem que matou o jogador Daniel no WhatsApp.

Em um outro print de conversa, Cris Brittes manda uma mensagem para uma pessoa registrada na sua agenda como “Advogada Divorcio”, indicando que ela estava com intenções de se separar antes mesmo do crime: “Olá, tudo bem? Confirmado o horário de amanhã?”

Combinando versão do crime

Família Brittes combina versão da morte de Daniel com testemunhas

Outra novidade do caso são as conversas de Allana Brittes , filha do casal, com pessoas que estavam na sua festa. Nas mensagens, a jovem tenta marcar um encontro com essas testemunhas no dia seguinte ao assassinato com o intuito de combinar uma versão do crime.

“Os Purkote vão sair junto com você? Que horas você volta mais ou menos, você acha? Ou que horas, tipo, que dá um ar pra gente? Que é só pra gente conversar rapidinho”, disse Allana em uma das mensagens por áudio à Lucas Mineiro, seu amigo.

As mensagens foram trocadas na noite de 27 de outubro, dia em que o jogador Daniel foi encontrado pela manhã. O encontro das testemunhas com a família, marcado por Allana, aconteceu apenas no dia 29, em um shopping da cidade de São José dos Pinhais. Câmeras de segurança flagraram a conversa.

Quem são os acusados

Allana Brittes e Cris Brittes

Além da família Brittes (Edison, Cristiana e Allana), outras quatro pessoas são acusadas do crime.

O empresário Edison Brittes já confessou ter matado Daniel, alegando que jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, sua esposa, em casa. Por outro lado, a Polícia Civil e o MP-PR (Ministério Público do Paraná) entendem que não houve tentativa de estupro.

Edison Brittes Júnior: acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;

Cristiana Brittes: acusado de homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;

Allana Brittes: acusada de coação no processo, fraude processual e corrupção de adolescente;

Ygor King: acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

Eduardo da Silva: acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

David Willian da Silva: acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;

Evellyn Brisola Perusso: acusada de denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.

De todos os acusados, apenas Evellyn Perusso responde em liberdade. Os outros seguem detidos.

Evellyn Brisola Perusso ficou com Daniel na noite anterior ao crime

A juíza do caso Daniel já ouviu testemunhas de acusação e defesa em outras duas fases de audiência, em fevereiro e em abril deste ano de 2019. Prestaram depoimento pessoas que estavam na festa de aniversário de Allana Brittes, na véspera do crime, e familiares do jogador e dos acusados.

Fonte: Esporte/iG

Publicidade