Espírito Santo

ES fecha acordo com a Polícia Federal para uso de sistema que ajuda a identificar criminosos

COMPARTILHE
82

A Polícia Civil do Espírito Santo ganhou um grande aliado para aumentar a capacidade de identificação de criminosos. Isso porque o Governo do Estado assinou um convênio, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), que possibilita à Corporação o acesso a todo o banco de dados nacional da Polícia Federal, com comparação de digitais feitas por meio biométrico.

Polícia Civil comprova irregularidades da EDP no Espírito Santo, diz deputado

Após denúncia encaminhada pelo Deputado Vandinho Leite - PSDB, a Delegacia Especializada de Defesa...

Critério técnico?: Governo Federal nomeia comerciante como novo chefe do Parque Nacional do Caparaó

O Governo Federal, que desde o início do mandato disse que só nomearia técnicos...

“O Governo do Estado está agindo como opressor das forças de segurança”, diz deputado Capitão Assumção

O deputado estadual Capitão Assumção (PSL) ao utilizar, ontem, a tribuna na Assembleia Legislativa...

A assinatura do convênio foi realizada na manhã de ontem durante a reunião do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, no Palácio da Fonte Grande.

O sistema possibilita pesquisar em um banco de dados as imagens das impressões digitais de criminosos de todo o País. Cada imagem que a máquina dispõe é rigorosamente verificada pelos peritos da unidade. O recurso tem facilitado o trabalho da perícia e permitido laudos com 100% de certeza da autoria de crimes.

Continua depois da publicidade

Ao realizar a coleta de fragmentos de impressões digitais em um local de ocorrência, essas informações são digitalizadas e inseridas no sistema Afis que faz uma pesquisa no banco de dados criminal que permite comparação automática das impressões digitais.

De acordo com Casagrande, esse é mais um passo para melhoria da estrutura da Polícia Civil do Estado, que passa a ter novamente a tecnologia disponível. “Esse acordo para retomada da utilização dos dados da Polícia Federal é muito importante, pois nos ajuda a integrar o trabalho. Quero agradecer à Polícia Federal por nos proporcionar esse acordo e nos garantir maior eficácia no combate à criminalidade”, afirmou.

22 milhões de cadastros

O diretor do Instituto Nacional de Identificação da Polícia Federal, Brasílio Caldeira Brant, explicou que o banco de dados possui mais de 22 milhões de cadastros, que estarão disponíveis para a Polícia Civil do Espírito Santo.

“A Segurança Pública como um todo vai ganhar demais com esse acordo. Vai promover o retorno do sistema Afis para o Espírito Santo. Tivemos que retirar em 2016 porque não tínhamos mais o acordo de cooperação. A principal vantagem é o acesso do Estado a um sistema de identificação biométrico de impressões digitais de cerca de 22 milhões de pessoas. Ele cruza as informações de impressões digitais, inclusive de fragmentos de locais de crimes”, finalizou.

Publicidade