Saúde

Conheça as áreas de atuação do Fisioterapeuta

CREFITO reconhece 15 especialidades

COMPARTILHE
82

Se considerarmos os estereótipos que cercam o imaginário das pessoas que não conhecem a profissão, não é raro o pensamento de que a Fisioterapia é adotada apenas para tratar lesão ou fazer reabilitação após procedimentos cirúrgicos. Mas o campo de trabalho do fisioterapeuta é vasto e ainda permite a interdisciplinaridade, com outras graduações.

Dia Mundial do Doador de Medula Óssea: cadastro de doadores cresce no Estado

Neste sábado (21) comemora-se o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. A data...

Sobe para 16 o número de estados brasileiros com casos confirmados de sarampo

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) registrou este ano, até essa quarta-feira (18),...

Quando se preocupar com a dor de cabeça e buscar atendimento: 13 sinais

Dor de cabeça é um problema bastante comum e que afeta a maioria das pessoas...

Órgão regulamentador da profissão no Brasil, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) destaca que a Fisioterapia trata-se de uma Ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos, funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. São reconhecidas atualmente 15 especialidades: Fisioterapia esportiva, Fisioterapia do Trabalho, Fisioterapia Respiratória, Fisioterapia em Terapia Intensiva e Fisioterapia Neurofuncional.

A paixão pelo movimento levou Selma França a percorrer uma trajetória inusitada: de dançarina, tornou-se fisioterapeuta. Hoje em dia, atua com a cinesioterapia e a fisioterapia manipulativa. “Dentro dessa área existem várias técnicas muitas vezes desconhecidas pelas pessoas. E, na fisioterapia, é muito importante o trabalho em conjunto. Esse é o tratamento do futuro”, sinaliza.

Continua depois da publicidade

Selma também pontua a importância de se olhar para o fator biopsicossocial. “Quando você trabalha com alguém que tem um problema no ombro, muitas vezes você não sabe em que circunstância foi ocasionada aquela dor. E, muitas vezes, ela pode ter vindo de problemas emocionais, como por exemplo, uma perda. Nesses casos, é necessário um tratamento multidisciplinar em conjunto com outros profissionais”.

Também amante da profissão, Matheus Alves, de 23 anos, começou a pensar em cursar Fisioterapia após perceber a importância deste profissional para a vida das pessoas – sobretudo a dos atletas. “Sem ajuda de um fisioterapeuta, um atleta é um profissional incompleto. Hoje, se um atleta se lesiona, ele tem chances de voltar a campo em muito menos tempo do que no passado. E isso acontece devido aos avanços da área”, comenta o estudante do 8ª semestre.

Uma curiosidade: No dia 13 de outubro, as profissões de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional completarão 50 anos de regulamentação, celebrado devido a publicação, em 1969, do Decreto-Lei nº 938.

Saiba mais sobre as especialidades da Fisioterapia

Fisioterapia em Acupuntura – Trata-se da aplicação da acupuntura – e também de outras técnicas da medicina tradicional chinesa – no tratamento de problemas musculoesqueléticos. Pode tratar dores e depressão.

Fisioterapia Aquática – Essa área de atuação engloba a utilização da água em diferentes contextos para promover a recuperação respiratória, o fortalecimento muscular e o alívio de dores, entre outros problemas.

Fisioterapia Cardiovascular – Trabalha com intervenções para prevenir os fatores de risco cardiovascular e garantir melhores condições físicas e mentais dos pacientes com doença cardiovascular crônica. Os profissionais atuam também com a recuperação de pacientes após um acidente vascular cerebral.

Fisioterapia Dermatofuncional – Esse segmento é voltado principalmente à estética. O profissional ajuda em tratamentos como o de redução da gordura localizada, flacidez da pele, estrias, cicatrizes e outros tipos de condições que a pele apresenta.

Fisioterapia Esportiva – Lidando diretamente com atletas de diferentes segmentos, essa atuação é marcada pela prevenção e tratamento de lesões em profissionais do esporte.

Fisioterapia em Gerontologia – Trabalha com atenção e cuidados a idosos, com ênfase em sua qualidade de vida, bem-estar e mobilidade.

Fisioterapia do Trabalho – Os profissionais dessa área tratam diretamente com pacientes que sofrem com as lesões de esforço repetitivo (LER), que são causadas por má postura ou repetição de movimentos feitos em seus ambientes de trabalho.

Fisioterapia Neurofuncional – O fisioterapeuta pode ajudar pacientes que têm limitações físicas ou neuromotoras decorrentes de doenças neurológicas ou degenerativas, a fim de garantir sua autonomia.

Fisioterapia em Oncologia – A assistência a pacientes com câncer – ou com sequelas da doença – também é uma das especialidades do fisioterapeuta. O profissional auxilia, inclusive, em pré-operatório, no preparo do paciente para o procedimento e para tentar reduzir as complicações.

Fisioterapia Respiratória – Trata de doenças respiratórias que podem ocasionar disfunções no diafragma, no metabolismo muscular e na oxigenação sanguínea

Fisioterapia Traumato-Ortopédica –  A área mais lembrada quando falamos em fisioterapia. Aqui o profissional auxilia os pacientes que tiveram luxações, fraturas, lesões na coluna ou nas articulações.

Fisioterapia em Saúde da Mulher – Compreende o trabalho com as especificidades do corpo da mulher. Desenvolve a ginástica íntima, que ajuda a diminuir sintomas da menopausa, no tratamento de incontinência urinária, auxilia com a redução de cólicas menstruais e a preparar o corpo para o parto.

Fisioterapia em Terapia Intensiva – É o trabalho feito pelos fisioterapeutas aos pacientes        que estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Fisioterapia em Osteopatia – Nessa área, o profissional trabalha com a manipulação musculoesquelética para tratar doenças e aliviar sintomas de dores. Um exemplo é o trabalho para recuperar a postura adequada.

Fisioterapia em Quiropraxia – Nesse campo de atuação, o fisioterapeuta ajuda com a prevenção de doenças ou seu agravamento e reabilita fisicamente o paciente.

Bárbara Maria – Agência Educa Mais Brasil

 

Publicidade