Geral

Domingo de acidentes deixa 23 mortes no trânsito do interior de SP

COMPARTILHE
26
Advertisement
Advertisement

Ao menos 23 pessoas morreram em único dia, o último domingo, 22, em acidentes de trânsito causados principalmente pela imprudência dos condutores de veículos, no interior de São Paulo. O número, que não inclui a capital e sua região metropolitana, é 60% maior do que a média de 14,6 mortes diárias registradas em todo o Estado este ano, segundo dados do Infosiga SP, o sistema de estatística obre acidentes do governo estadual.

Mortes por coronavírus na China aumentam para 41; infectados chegam a 1.287

As mortes pelo novo coronavírus na China aumentaram para 41 e o número de...

França confirma três casos de coronavírus, os primeiros do continente europeu

O governo francês confirmou nesta sexta-feira, 24, três casos de infecção pelo novo coronavírus,...

Reação a assalto acaba com três feridos a tiros no centro do Rio

Um tiroteio deixou três pessoas feridas no Largo da Carioca, no centro do Rio,...

A maioria das mortes aconteceu em rodovias de várias regiões do Estado, conforme levantamento feito pela reportagem. Os acidentes mais graves aconteceram na rodovia Júlio Budisk (SP-501), em Alfredo Marcondes, e na rodovia Miguel Jubran (SP-333), em Tarumã, no oeste paulista. Cada um deixou saldo de quatro pessoas mortas.

Conforme dados do Infosiga SP, no primeiro semestre deste ano, o número de mortes no trânsito, em todo o Estado, foi 2% menor do que no mesmo período de 2018. Houve 2.593 mortes por acidentes em todo o Estado, de janeiro a junho deste ano. Em 2018, foram 2.645. Só no mês de junho foram 498 mortes em ruas e rodovias.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A região metropolitana da capital paulista lidera o ranking com 850 ocorrências fatais. As regiões de Campinas (432 óbitos), Sorocaba (217), São José dos Campos (182) e Santos (138) vêm a seguir. O número de mortes caiu em dez das 16 regiões do Estado. A região de Registro registrou a maior queda (-30%) e a de Marília, o maior aumento (+19%).

Os motociclistas lideram as estatísticas, representando 35% das vítimas (913 mortes). Os pedestres vêm em segundo lugar (746 óbitos), seguidos pelos ocupantes de automóveis (638 mortes). No semestre, morreram também 197 ciclistas. Os acidentes são concentrados nos finais de semana (45,1%) e no período noturno (52,8%).

José Maria Tomazela
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Publicidade