Economia

Porta-voz diz que a princípio anúncio sobre FGTS está mantido para quarta

COMPARTILHE
34
Advertisement
Advertisement

O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 22, que o anúncio dos detalhes sobre a liberação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) está mantido para a quarta-feira.

Aeroporto de Cumbica atinge marca histórica de 43 milhões de passageiros em 2019

O Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, que é administrado pela GRU Airport,...

Aneel aprova reajuste médio negativo de 1,78% nas tarifas da Energisa Borborema

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 28, um reajuste médio...

Dívidas: 48% dos brasileiros não controlam o próprio orçamento, revela pesquisa

Capacidade de planejamento, autocontrole e disciplina são palavras essenciais quando o assunto é manter...

Questionado sobre se os saques valerão para contas ativas e inativas e se a liberação de recursos será de R$ 30 bilhões, ele disse apenas que o tema está em estudo pela equipe econômica.

Como o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, informou, o governo estuda agora limitar os saques das contas do fundo a R$ 500 neste ano. O valor máximo seria para contas ativas (dos contratos atuais) e inativas (de contratos inativos).

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Contingenciamento

O porta-voz também afirmou que o bloqueio de R$ 1,4 bilhão no orçamento de 2019 anunciados nesta segunda pela equipe econômica “vem ao encontro da transparência” que o governo quer promover.

“O fato de ter que contingenciar agora não significa por certo que, no futuro, tenhamos que inviabilizar as atividades de um ministério. Os técnicos da economia vêm buscando soluções para chegarmos ao fim do ano com o orçamento previsto”, disse.

O bloqueio é necessário para o governo cumprir a chamada meta de déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar juros da dívida pública) de até R$ 139 bilhões fixada para este ano.

O crescimento menor da economia implica uma arrecadação de impostos menor que a prevista. Isso faz com que o governo tenha mais dificuldade para cumprir a meta fiscal. Por isso, o governo bloqueia despesas no orçamento.

No domingo (20), o presidente Bolsonaro já havia alertado que poderia ser feito um novo contingenciamento, no valor de R$ 2,5 bilhões.

Mariana Haubert e Julia Lindner
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Publicidade