Política Nacional

Twitter: Moro diz não reconhecer autenticidade de novos diálogos, mas se defende

COMPARTILHE
8

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, recorreu ao Twitter para se defender da manchete da Folha de S.Paulo desta quinta-feira, 18, que afirma que o então juiz federal interferiu em acordo com delatores da Lava Jato. Na rede social, Moro afirmou que juiz “tem não só o poder, mas o dever legal de não homologar ou de exigir mudanças em acordos de colaboração excessivamente generosos com criminosos”.

Em BH, manifestantes pedem veto total à lei de abuso de autoridade

Em ato organizado por apoiadores do governo neste domingo, 25, em Belo Horizonte, manifestantes...

Ato contra lei de abuso de autoridade reúne cerca de 5 mil em Brasília

Ato organizado pelo movimento Vem Pra Rua reuniu cerca de 5 mil pessoas na...

Supremo já arquivou 2/3 da delação da Odebrecht

Dois ex-executivos da Odebrecht relataram com detalhes à força-tarefa da Lava Jato como negociaram...

Em parceria com o site The Intercept Brasil, a Folha afirma que Moro interferiu nas negociações das delações de dois executivos da construtora Camargo Corrêa, o que, de acordo com o jornal, cruzaria os limites impostos pela legislação para manter juízes afastados de conversas com colaboradores.

“A Lei das Organizações Criminosas de 2013, que definiu as regras para os acordos de colaboração premiada, diz que juízes devem se manter distantes das negociações e têm como obrigação apenas a verificação da legalidade dos acordos após sua assinatura”, diz o jornal.

Continua depois da publicidade

Moro questionou a intenção do periódico ao afirmar que “mais uma vez, não reconheço a autenticidade de supostas mensagens minhas ou de terceiros, mas, se tiverem algo sério e autêntico, publiquem”. Até lá, disse o ministro, não poderá concordar com “sensacionalismo e violação criminosa de privacidade”.

Gabriel Wainer
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade