Economia

Correção: Plenário analisa destaque que reduz idade de professores na transição

COMPARTILHE
11

A matéria enviada anteriormente continha um incorreção. O destaque reduz em cinco anos a idade mínima na transição dos professores, para homens e mulheres, e não em dois anos apenas para mulheres, como constou do texto anterior. Segue texto corrigido:

PMs e bombeiros terão regras duras de inatividade, mas benefício integral

A inclusão de policiais e bombeiros militares na reforma das Forças Armadas deve render...

Juros sobem, mas correção é limitada por cenários de inflação e Selic

Um movimento de realização de lucros sustentou os juros futuros em alta durante a...

Real tem pior desempenho mundial pelo segundo dia seguido e dólar vai a R$ 4,16

O real teve novo dia de piora forte ante o dólar nesta terça-feira e...

O plenário da Câmara dos Deputados começou a analisar o destaque nº 43, do PDT, que reduz em cinco anos a idade mínima exigida dos professores na regra de transição, cujo pedágio é de 100% do tempo que ainda falta de trabalho.

Pela proposta, a idade mínima na transição das professoras será de 52 anos, e para os professores, de 55 anos. A mudança vale tanto para os profissionais do ensino público quanto para os do ensino privado.

Continua depois da publicidade

De acordo com o texto-base da reforma da Previdência aprovado esta semana, passaria a vigorar – tanto para os professores públicos quanto para os privados – idade mínima de 57 anos para mulheres e 60 anos para os homens, com 25 anos de contribuição para ambos.

O plenário analisará os outros cinco destaques de bancada que ainda restam, um de cada vez. O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na quarta-feira (10), por 379 votos a 131 no plenário.

Eduardo Rodrigues, Mariana Haubert e Amanda Pupo
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade