Cachoeiro de Itapemirim

Transporte escolar de Soturno terá rotas readequadas

COMPARTILHE
Imagem ilustrativa
98

As rotas do transporte escolar de Soturno estão sendo readequadas para melhor atender às crianças que moram longe da unidade de ensino em que estão matriculadas. As alterações começaram nesta semana e atendem às exigências da portaria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que estabelece que será ofertado transporte escolar a todos os alunos que residem em zonas rurais.

Ação gratuita do Setembro Amarelo terá corte de cabelo, orientação sobre saúde mental, maquiagem e muito mais em Cachoeiro

Orientações sobre saúde mental, corte de cabelo, exposição de artesanato, maquiagem e sessão de...

Guarda Mirim promove evento de integração no pavilhão da Ilha da Luz

A quinta-feira (5) será agitada no Pavilhão da Ilha da Luz, em Cachoeiro de...

Exames preventivos e hábitos saudáveis são temas de campanha da Unimed Sul Capixaba

Prevenção e cuidados com a saúde. Esse é o foco da campanha “Sempre É...

Para assegurar que todas sejam atendidas, conforme a determinação federal, a Secretaria Municipal de Educação aferiu e reorganizou as rotas. Para isso, georreferenciou a entrada de cada estudante que utilizava o transporte e fez as readequações necessárias.

A partir dessa semana, em atendimento às portarias que regulamentam o atendimento aos alunos que residem em zonas rurais, em alguns pontos o ônibus deixou de atender, pois neles estavam embarcando estudantes que moram a menos de 3 km da escola.

Continua depois da publicidade

Mas para atender aos alunos que têm o direito ao transporte, em outros pontos a rota sofreu ampliação em 2019, já que estudantes que precisam e têm direito ao ônibus passaram a estudar em escolas municipais.

“Os pais, no ato da matrícula, já são informados quando os filhos têm e quando eles não têm direito ao benefício. As portarias do FNDE estabelecem que devemos oferecer transporte a todos aqueles que morem a 3 km da unidade de ensino ou que morem no interior e tenham alguma doença limitadora ou necessidades especiais. A readequação evita que o veículo fique com a lotação acima do permitido e que as viagens sejam feitas sem as normas de segurança”, explica a secretária municipal de Educação, Cristina Lens.

Publicidade