Segurança

Presos irmãos que mataram fisioterapeuta durante assalto em Ibatiba

COMPARTILHE
33874
Advertisement
Advertisement

Um trabalho em conjunto entre a Polícia Civil do Espírito Santo, Serviço de Inteligência da Polícia Militar com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais, prendeu na noite desta quarta-feira (19), os dois suspeitos de matarem a fisioterapeuta Jéssica de Assis Marques, de 23 anos, durante um assalto na localidade de Santa Maria de Cima, em Ibatiba, na noite do último domingo (16). Eles queriam roubar a moto da vítima. 

Continua depois da publicidade

Edimar das Neves Rodrigues, 27 anos, e Cleiton Martins Rodrigues, 18 anos, foram presos em Pinheiros, distrito de Martins Soares, município mineiro, quando abasteciam o veículo em que estavam. Eles são moradores de Mutum, em Minas, e foram até Ibatiba naquela noite com a intenção de cometer crimes no município.

As polícias monitoravam os passos dos irmãos desde a última segunda-feira (17), quando o corpo de Jéssica foi encontrado caído junto a moto em uma ribanceira de 200 metros, numa uma estrada de chão que liga à BR 262.

Continua depois da publicidade

Três horas depois da família encontrar a moça sem vida, o delegado titular da Delegacia de Ibatiba, Cláudio Rodrigues, já havia identificado os autores do crime. Os pais dos rapazes chegaram a prestar depoimento à polícia, por que favoreceram a fuga dos filhos, mas não foram autuados, já que há uma cláusula para o crime que cometeram: favorecimento pessoal.

A fisioterapeuta foi atingida por um tiro na axila, que transfigurou o coração. Mesmo baleada, a jovem não cedeu à ordem dos criminosos e seguiu com a moto até perder os sentidos. Ela foi sepultada na última terça-feira (18), em um cemitério da região.

A dupla deve ser autuada por crime de latrocínio (roubo seguido de morte), a maior pena do Código Penal, podendo chegar a 30 anos prisão

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

 

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].