Anchieta

Prefeito visita obras do muro de contenção da maré na Ponta dos Castelhanos

COMPARTILHE
Divulgação PMA
67

O prefeito de Anchieta, Fabrício Petri, visitou hoje (11) as obras de construção do muro de contenção da maré na Ponta dos Castelhanos, na sede do município. As obras estão passando por mais uma etapa e, de acordo com a Secretaria de Insfraestrutura, mais de 50% do muro está concluído.

Muro de contenção da maré em novo estágio na Ponta dos Castelhanos

As obras de construção do muro de contenção da maré na Ponta dos Castelhanos,...

Spaço Fitness Marconcini: saúde, atividade física e estética

Confira o relato do esforço e sucesso das irmãs empreendedoras Vânia Marconcini Silva e...

Iriri Vivo: eventos diversos durante todo o ano no balneário

A Associação Iriri Vivo tem garantido, por meio de suas iniciativas, um fluxo de...

Petri conversou com o engenheiro responsável pela obra e com alguns funcionários e, durante a visita, também ouviu com moradores locais. De acordo com o prefeito, a obra é uma necessidade que irá dar mais tranquilidade às famílias da região. “É um compromisso feito com a comunidade que vem sendo cumprido. Estou feliz com o avanço das obras e por garantir a segurança das famílias da região”, ressaltou.

Homens e máquinas trabalham diariamente para garantir a qualidade e a conclusão da obra, que também contempla a pavimentação e drenagem da avenida do trecho danificado.

Continua depois da publicidade

O investimento é oriundo do governo do Estado, por meio de um convênio celebrado entre a Prefeitura de Anchieta e a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). O valor do investimento é de R$ 1.949.266,84 e irá contemplar 480 metros de extensão, iniciando em frente ao antigo ginásio (hoje Secretaria da Fazenda).

Segundo informações da Secretaria Municipal de Infraestrutura, o prazo de conclusão da obra precisou passar por um aditivo, em virtude das variáveis da maré, que atrasaram o processo. “Em dias de maré alta e mar muito agitado, a equipe que realiza as obras não podia trabalhar. Em outros dias, às vezes, só conseguiam trabalhar em um turno, por isso da prolongação da conclusão”, explica o secretário da pasta, Leonardo Abrantes.

Publicidade