Segurança

PC identifica dupla que matou transexual com tiro na cabeça em Cachoeiro

COMPARTILHE
5944

A Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic) identificou os dois acusados de matar com um tiro na cabeça a transexual Jaylan Pedro Soeiro de Oliveira, conhecida pelo nome social Jahy Bianchini, de 20 anos. O crime aconteceu em Santa Clara, localidade de Morro Grande, em Cachoeiro de Itapemirim, no dia 30 de maio deste ano. Outro dois homens foram autuados por co-participação.

Criminosos assaltam Correios de Alegre, capotam carro na fuga e acabam detidos

A agência dos Correio de Alegre foi alvo de assaltantes no início da tarde...

Acidente envolvendo cinco veículos por pouco não acaba em tragédia em Piúma 

Cinco veículos, sendo um Fox, um Voyage, um Cruze, uma Strada e outro que...

Suspeitos são presos traficando no bairro Ibitiquara em Cachoeiro

Durante patrulhamento pelo bairro Ibitiquara, próximo ao Tiro de Guerra, região Central de Cachoeiro...

De acordo com a Polícia Civil, um vigilante, de 28 anos, e um ajudante de padeiro, de 19, são os responsáveis pela morte da jovem. A delegacia chegou até os autores após identificar o carro usado no dia do crime, um Renault Sandero de cor prata.

Bianchini era de Vitória e estava no município há 15 dias, onde passaria uma temporada.

Continua depois da publicidade

O dono do veículo foi apontado como autor no início das investigações, mas durante depoimento, afirmou ter sido forçado a deixar o carro com um traficante para pagar uma dívida de drogas, já que ele era usuário. Posteriormente, ele disse que foi obrigado a transferir o veículo para a namorada de um dos envolvidos na morte da vítima.

Em depoimento, os acusados afirmaram que não tiveram a intenção de matar a transexual, e que a versão da testemunha, de que a dupla queria roubá-las, já que Jahy estava acompanhada de uma amiga na ocasião, que presenciou tudo, não é verdade. Ele afirmou que os dois queriam pagar pelo programa em drogas, mas as garotas rejeitaram a proposta. Em seguida, houve uma discussão e o grupo acabou entrando em luta corporal, momento em que aconteceu o disparo.

O veículo utilizado no dia do crime ainda não foi localizado pela polícia até o momento. Já arma, segundo relatou um dos suspeitos, à polícia, foi jogada no Rio Itapemirim após o crime.

Ainda segundo a Policia Civil, todos os envolvidos M.G.S, de 28 anos, M.A, 19 e J.H.S.C, 20, estão soltos, já que não foram presos em flagrante, ficando a cargo da Justiça a expedição dos mandados de prisão, após manifestação do Ministério Público. Os três envolvidos foram indiciados por extorsão e dois pelo latrocínio.

Publicidade