Segurança

PC identifica dupla que matou transexual com tiro na cabeça em Cachoeiro

COMPARTILHE
5846

A Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic) identificou os dois acusados de matar com um tiro na cabeça a transexual Jaylan Pedro Soeiro de Oliveira, conhecida pelo nome social Jahy Bianchini, de 20 anos. O crime aconteceu em Santa Clara, localidade de Morro Grande, em Cachoeiro de Itapemirim, no dia 30 de maio deste ano. Outro dois homens foram autuados por co-participação.

Caminhão tomba após bloco de granito se desprender na Rodovia do Frade em Cachoeiro

Um caminhão, carregado com um bloco de granito, tombou na manhã desta terça-feira (23),...

Três são presos pela PM com arma e drogas no bairro Bela Vista em Cachoeiro

Três suspeitos, entre eles, dois adolescentes foram presos na noite desta segunda-feira (22), no...

Rio de Janeiro registra queda de 34% em latrocínios

Dados  do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro apontam que houve...

De acordo com a Polícia Civil, um vigilante, de 28 anos, e um ajudante de padeiro, de 19, são os responsáveis pela morte da jovem. A delegacia chegou até os autores após identificar o carro usado no dia do crime, um Renault Sandero de cor prata.

Bianchini era de Vitória e estava no município há 15 dias, onde passaria uma temporada.

Continua depois da publicidade

O dono do veículo foi apontado como autor no início das investigações, mas durante depoimento, afirmou ter sido forçado a deixar o carro com um traficante para pagar uma dívida de drogas, já que ele era usuário. Posteriormente, ele disse que foi obrigado a transferir o veículo para a namorada de um dos envolvidos na morte da vítima.

Em depoimento, os acusados afirmaram que não tiveram a intenção de matar a transexual, e que a versão da testemunha, de que a dupla queria roubá-las, já que Jahy estava acompanhada de uma amiga na ocasião, que presenciou tudo, não é verdade. Ele afirmou que os dois queriam pagar pelo programa em drogas, mas as garotas rejeitaram a proposta. Em seguida, houve uma discussão e o grupo acabou entrando em luta corporal, momento em que aconteceu o disparo.

O veículo utilizado no dia do crime ainda não foi localizado pela polícia até o momento. Já arma, segundo relatou um dos suspeitos, à polícia, foi jogada no Rio Itapemirim após o crime.

Ainda segundo a Policia Civil, todos os envolvidos M.G.S, de 28 anos, M.A, 19 e J.H.S.C, 20, estão soltos, já que não foram presos em flagrante, ficando a cargo da Justiça a expedição dos mandados de prisão, após manifestação do Ministério Público. Os três envolvidos foram indiciados por extorsão e dois pelo latrocínio.

Publicidade