Cidades

Do sonho à realização: saiba como foi o início da trajetória do Grupo Folha do Caparaó

COMPARTILHE
168

Há 15 anos, o recém criado jornal Folha do Caparaó era entregue de porta em porta por seu idealizador, Elias Carvalho Soares. O empresário e sonhador levava os exemplares de baixo do braço e, a pé ou de ônibus, distribuía as primeiras edições do periódico que seria o maior veículo de comunicação da região Sul do Estado.

Novo alerta de chuva forte é emitido para 14 cidades do ES; veja a lista

Um novo alerta para chuvas fortes no Espírito Santo foi emitido na manhã de...

Bom Jesus do Norte convoca para vacinação contra o sarampo

O Governo Federal está em campanha nacional de vacinação contra o sarampo e até...

Praça 25 de Dezembro ganha novas flores em Guaçuí

A equipe de Paisagismo e Jardinagem da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) de...

O objetivo que movia o sonho era ser um elo que unisse todos os municípios que compõem o Caparaó capixaba e por meio dessa união desenvolver a região que é considerada uma das belas do Espírito Santo. O Folha foi pensado para ser o jornal que estivesse ao lado do povo e também o porta voz de suas necessidades e potencialidades.

A falta de recursos e condições não impediram o idealizador do projeto de trilhar os primeiros passos em busca de seu ideal. “Eu não tenho uma faculdade. Não falo isso com orgulho. Mas eu tinha que escolher entre trabalhar e comer ou estudar. Eu tive que comer e trabalhar. Não consegui estudar. Como alguém que não tem uma faculdade começa um jornal? E ainda com dificuldade de português e sem dinheiro? Eu entregava os jornais andando a pé. Com a três primeiras edições foi assim, eu mesmo levava os exemplares no bagageiro do ônibus”, recorda Elias.

Continua depois da publicidade

Além das entregas, Elias preparava a edição do jornal, realizava as vendas e fazia a publicidade de seu periódico. “Eu parava nas rodoviárias das cidades que geralmente eram lanchonetes, barzinhos; deixava o pacote com os impressos num canto e ia fazer as entregas de jornais na cidade. Eu produzia, entregava, vendia, fazia tudo no jornal. Era somente eu”.

As dificuldades foram muitas, mas as pedras do caminho foram superadas sempre com o olhar no futuro. “Foi com muita luta, determinação, mas sempre acreditei que a região precisava de um jornal sério. Eu sabia que se eu fizesse um trabalho sério iria render fruto, como está aí a empresa, hoje, nesse patamar”, exalta.

Em 2004, o jornal que nasceu simples, na cidade de Guaçuí, cresceu, passou a diário e deixou frutos no Sul do Estado. Quando completou seu primeiro ano de vida, no ano seguinte, em uma festa que reuniu empresários, autoridades e outras lideranças da sociedade organizada, em Guaçuí, já mostrava que sua postura era diferente de outros jornais que surgiram na região, se colocando como um órgão de imprensa que havia chegado para fazer diferença.

Em um ano de funcionamento, o Folha do Caparaó já apresentava estrutura, inclusive com um veículo rodando na região para a produção e apuração das matérias. A partir do segundo ano, a empresa integrou ao seu time de funcionários profissionais de marketing e designer.

A partir de 2007, o grupo estava estruturado e já era considerado um empreendimento consolidado de grande importância para a região, com vários produtos incluídos, surgindo, então, a Folha 2 – que trazia matérias da área de cultura e a já existente coluna social Vip, além de outras seções que foram modificadas com o passar do tempo, realizando edições históricas.

O líder do Folha do Caparaó sempre foi visionário e projetou o futuro tanto da empresa como de toda a região Sul do Estado. Em 2008, o jornal já estava consolidado na região do Caparaó, como informativo e formador de opinião, com edições que também marcaram a história, produzidas por uma redação que apresentava uma estrutura que se equiparava a veículos de comunicação dos grandes centros.

Após quatro anos de forte presença no Caparaó, o jornal começou a se aproximar dos outros municípios do Sul do Estado, principalmente de Cachoeiro de Itapemirim, instalando na cidade um escritório, com um veículo, que passou a produzir matérias do município e região, inclusive do litoral Sul. E sua chegada a Cachoeiro foi ratificada com uma das maiores festas realizadas na cidade, no Shopping Sul, com show de Guilherme Arantes. A Folha do Caparaó ganhava o Sul do Estado.

Folha Sul

A partir de 2009, a maior parte da redação foi transferida para Cachoeiro, onde o jornal passou a ser rodado, enquanto outra redação permaneceu em Guaçuí. Passaram, então, a ser impressos dois jornais: a Folha Sul Capixaba (diário) e a Folha do Caparaó (semanal), implantando uma nova maneira de fazer jornalismo regional, com um novo conceito e conquistando sempre mais credibilidade.

Aqui Notícias

Em 2011, o jornal produzido em Cachoeiro passou a se chamar Aqui Notícias, diário que circula e reúne notícias em todo o Sul do Estado. Em 2018 ocorreu a unificação do Folha do Caparaó ao Aqui Notícias, mantendo a circulação em todos os municípios da região Sul do ES.

Online

Sempre acompanhando às demandas da sociedade e do mercado, em 2015 foi lançado o portal online AQUINOTICIAS.COM, que em pouco mais de três anos no ar já atingiu a marca de dois milhões de acessos por mês, sendo o site de notícias da região Sul mais visitado.

Caminho de sucesso

Ao olhar para trás, o Grupo de Comunicação Folha do Caparaó construiu um caminho de sucesso sempre presando pela credibilidade da informação, pautando-se na realidade regional. “É com muito orgulho que que eu chego aos 15 anos de jornal, com muita independência na questão editorial e, o que é mais importante, liderando no impresso em todo o Sul do Estado e no digital. Em 15 anos, somos líderes nesse mercado impresso e digital. Isso nos dá muito orgulho”, comemora o diretor.

Elias também atribui o sucesso da empresa a sua equipe de profissionais. “Agradeço a Deus por nos dar saúde e sabedoria para caminharmos e, segundo, agradeço a minha equipe. É a equipe de jornalismo nossa que faz a diferença, que faz a gente alcançar esse ponto em que estamos. Que venham mais 15, mais 30 anos… Sempre valorizando a equipe de trabalho que para mim é o primordial”, ressaltou.

Publicidade