Esporte Nacional

Queiroz destaca concentração colombiana nos 90 minutos: 'Isso é futebol moderno'

COMPARTILHE
20

A dificuldade encontrada pela seleção colombiana para derrotar o Catar, nesta quarta-feira à noite, no Morumbi, não surpreendeu o técnico Carlos Queiroz. O treinador português destacou o poder de concentração de sua equipe e a organização do adversário para justificar a disputa acirrada durante os 90 minutos.

Invicta há 8 anos, cubana fatura 10º ouro no Mundial de Atletismo Paralímpico

A cubana Omara Durand é um fenômeno do esporte paralímpico. Nesta segunda-feira, ela manteve...

Gilson Kleina fecha treino e prepara Ponte Preta com mudanças

A única atividade da Ponte Preta para o jogo desta terça-feira, contra o Figueirense,...

Zverev vence Nadal na estreia no ATP Finals e Tsitsipas derrota Medvedev

O alemão Alexander Zverev e o grego Stefanos Tsitsipas estrearam com vitória no ATP...

“A mim não me surpreende. Tivemos pela frente uma equipe muito bem organizada, fechadíssima. É preciso destacar e enaltecer o poder de concentração de meus jogadores, que passaram os 90 minutos na briga pela posse de bola. Buscando o ataque e não diminuindo o ímpeto na defesa. Isso é o futebol moderno. Foi fenomenal. Não deixamos o Catar jogar”, afirmou o técnico da primeira equipe a obter a classificação para as quartas de final desta Copa América.

Carlos Queiroz afirmou ter conhecimento de que iria enfrentar uma defesa quase intransponível. “Eles jogaram com três zagueiros e três homens de marcação à frente. Não se pode querer encarar isso. Por isso, buscamos jogadas pelas laterais, por cima e também infiltrações com bolas em diagonal”, analisou.

Continua depois da publicidade

O técnico só criticou o fato de o time perder muitas oportunidades. “Quando não se faz o gol, você acaba sofrendo. Isso não é novidade no futebol. Se tivéssemos feito o gol mais cedo, o resultado seria outro. Mas acho que muito de nossas falhas nas finalizações ocorreram pela fadiga, após dois jogos muito duros.”

Carlos Queiroz não quis adiantar se vai fazer alguma alteração na equipe para o jogo de domingo, contra o Paraguai, pela terceira rodada, na Fonte Nova, em Salvador. “Sempre gosto de colocar em campo o que tenho de melhor, mas é preciso fazer uma análise de toda a situação física dos jogadores. Se for necessário, faremos alterações”, adiantou.

Wilson Baldini Jr.
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade