Geral

Carro usado por suspeito de assassinar família é localizado; buscas continuam

COMPARTILHE
23

A polícia localizou nesta terça-feira, 11, o carro usado por Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, para fugir do local de onde matou o ator Rafael Henrique Miguel, conhecido pela sua atuação na novela Chiquititas, e os pais dele no domingo, 9. O veículo foi encontrado na Avenida Batista Maciel, no Jardim Pedreira, próxima à Estrada do Alvarenga, na zona sul de São Paulo, onde o crime foi cometido. Matias segue sendo procurado pelos agentes.

Conselho de Medicina abre sindicância contra 25 médicos

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) já investigava, desde...

18 dos 77 pacientes retirados do Hospital Badim recebem alta

Receberam alta na tarde deste sábado (14) 18 dos 77 pacientes que foram retirados...

Peritos levam peças de gerador do hospital Badim para apurar causa do fogo

Dois dias após o incêndio no Hospital Badim, na zona norte do Rio de...

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública, o carro foi levado para o 98.º DP (Jardim Miriam). “Testemunhas foram ouvidas e o delegado solicitou as imagens das câmeras de monitoramento do local dos fatos para análise. Todas as informações sobre o paradeiro do autor do crime estão sendo apuradas e diligências estão em andamento para localizá-lo”, acrescentou a pasta.

Os assassinatos aconteceram na tarde de domingo, 9. Segundo o registro de boletim de ocorrência, Rafael chegou à casa da namorada acompanhado pelos pais João Alcisio Miguel, de 52, e Miriam Selma Miguel, de 50. Segundo parentes, eles haviam marcado uma conversa com a família de Isabela para falar sobre o relacionamento.

Continua depois da publicidade

Quando Rafael e os pais ainda estavam do lado de fora do portão, Matias os teria surpreendido e, sem dizer nada, matado os três a tiros, segundo o boletim de ocorrência. Na ocasião, Isabela e a mãe – as únicas presentes na cena do crime – teriam passado mal, por isso não foram ouvidas para elaboração do documento. Elas prestaram depoimento na segunda-feira, 10, no 98.º Distrito Policial (Jardim Miriam), delegacia responsável pela investigação.

O advogado de Isabela, Eliton Lima dos Santos, afirma, entretanto, que nenhuma conversa estava marcada entre as famílias. “A Isabela saiu de casa por volta do meio-dia, porque estava chateada”, disse. “Ela um marcou encontro com Rafael em uma praça, próximo da casa dela.”

Segundo Santos, a mãe de Isabela começou a ligar para o celular dela, mas a garota não atendeu. O pai dela também passou a procurá-la. Descrito como “rude” e “possessivo”, ele não aceitava o namoro da filha com o ator, segundo familiares.

A mãe de Isabela teria passado, então, a ligar para Rafael, mas o ator havia deixado o celular em casa, diz o advogado. “A Miriam (mãe do Rafael) viu a chamada e ligou para Isabela, que atendeu”, relatou. “Então o pai do Rafael foi buscar os dois na praça. Isabela não queria voltar para casa dela, mas eles acabaram decidindo que isso seria o melhor para ela.”

Antes de entrar em casa, Isabela teria verificado que o carro do pai não estava estacionado no local. Quando Miriam bateu no portão, no entanto, foi Matias quem atendeu, afirma o advogado.

“A Miriam perguntou: ‘Você é o pai da Isabela?”. Ele respondeu: ‘Não, sou a mãe’. E já pegou Isabela e mandou ela entrar”, disse Santos. “A Miriam ainda perguntou se eles poderiam conversar, mas ele disse que não. De repente, Isabela só ouviu os gritos e os tiros.”

Ainda segundo Santos, o pai desaprovava o namoro mas não teria chegado a agredir fisicamente Isabela por isso anteriormente. “Ele descobriu em meados de novembro, quando pegou o celular dela e viu as mensagens”, afirmou. “E não concordou com o namoro. Ele mantinha ela mais presa e chegou a tomar o celular.”

Felipe Resk e Marco Antônio Carvalho
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade