Política Regional

Projeto de lei quer obrigar execução de hinos nas escolas do ES

COMPARTILHE
152

Proposta que tramita na Assembleia Legislativa obriga a execução dos hinos Nacional e do Espírito Santo, semanalmente, nas escolas públicas e privadas do ensino fundamental e médio, bem como o hasteamento das bandeiras brasileira e do Estado. A iniciativa é objeto dos projetos de lei (PL) 150/2019 e 166/2019, ambos apresentados pelo deputado Capitão Assumção (PSL).

Prefeito Piassi está oficialmente afastado do cargo e Castelo terá novas eleições

Foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (22), a decisão do Tribunal Superior Eleitoral...

Projeto que propõe CPF como documento único para atendimento no serviço público avança na Câmara

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) aprovou ontem o projeto...

Em menos de 24 horas de afastamento, prefeito de Itapemirim reassume o cargo por meio de liminar

Menos de 24 depois de ter sido afastado do cargo de prefeito de Itapemirim,...

De acordo com Assumção, o hasteamento da bandeira deverá ser feito pelos alunos “com melhor rendimento trimestral”. A proposta estabelece ainda que a execução dos hinos deverá ser antes do início das aulas de cada período e que, em caso de feriado, a medida deverá ser cumprida no dia letivo anterior.

A matéria também obriga a execução “dos hinos de exaltação à Independência do Brasil, à Proclamação da República e ao Dia da Bandeira, em suas respectivas datas comemorativas oficiais”.

Continua depois da publicidade

O artigo 5º do PL 166/2016 determina que o diretor de escola que não cumprir a norma será submetido a Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

O deputado explica que a matéria tem por objetivo incentivar a cidadania e o patriotismo. “Essa conduta patriota trará de volta a reverência aos símbolos nacionais que acenderão a fagulha do orgulho e o amor à Pátria, que tanto amamos”, diz Capitão Assumção. De acordo com ele, a proposta visa “resgatar e incentivar a cidadania e patriotismo de nossos alunos, hoje bastante esquecidos”.

Tramitação

Por serem matérias correlatas, os PLs 150/2019 e 166/2019 tramitam juntos na Casa e aguardam parecer da Comissão de Justiça sobre a constitucionalidade da iniciativa. O despacho denegatório da Mesa Diretora aponta que as matérias, protocoladas em março na Casa, apresentam vício de iniciativa e tratam de assuntos cuja prerrogativa para legislar é do Executivo.

Publicidade