Cachoeiro de Itapemirim

Produtores rurais são orientados sobre sucessão familiar no campo

COMPARTILHE
63

Nesta quarta-feira (22), a Secretaria Municipal de Agricultura e Interior (Semai) de Cachoeiro de Itapemirim, em parceria com Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), ofereceu, a produtores rurais do município, uma oficina sobre sucessão familiar na propriedade rural.

Show, DJ e cosplay também serão atrações na Corrida de São Pedro

Neste sábado (22), além de acompanhar as disputas entre atletas da 41ª Corrida de...

Último dia para retirar kits da Corrida de São Pedro 

Está definido o local para retirada dos kits para a 41ª Corrida de São...

Assista a edição deste sábado (15) do programa “Top Show” pelo AQUINOTICIAS.COM

O programa "Top Show", do apresentador Parraro Scherrer, deste sábado (15) está no ar....

O objetivo foi o de orientar os participantes sobre o planejamento da sucessão, requisitos legais relacionados à posse das propriedades, além de questões de patrimônio, planejamento tributário e transferência de bens, entre outras.

A atividade foi ministrada pelo consultor e instrutor do Sebrae, Eduardo Elias Silva dos Santos, no auditório Sindicato Rural Patronal, localizado no bairro Independência.

Continua depois da publicidade

Além da oficina, os produtores terão direito a consultorias individuais em suas propriedades sobre o tema.

O secretário municipal de Agricultura e Interior, Robertson Valladão, ressalta que a sucessão familiar é uma das questões mais importantes do meio rural e está relacionada à permanência do jovem no campo.

“O debate em torno da sucessão familiar na propriedade rural é essencial para os agricultores, tendo em vista a importância de se preparar os mais jovens que assumirirão a liderança e a gestão dos negócios no futuro. Estando preparado para quando chegar o momento, o novo gestor poderá oferecer mais segurança e garantir a permanência da sua família no campo”, avalia.

A oportunidade de aprender sobre o tema agradou aos participantes. “Está sendo de extrema importância, pois nos prepara, tanto a gente, que está no comando da propriedade, quanto os nossos filhos, que nos sucederão. Penso que, se o meu pai tivesse tido a oportunidade de participar de uma oficina como essa, na época, talvez, eu não tivesse saído da propriedade. Certamente, eu teria sido preparada para geri-la. Então, eu vejo essa formação como algo essencial para eu saber como ensinar o meu filho a cuidar dos negócios da família”, disse a produtora de Alto São Vicente, Alessandra Fávero.

Publicidade