Operação Ouro Velho

MPES revela esquema de fraudes na Prefeitura e Câmara de Guaçuí e cumpre sete mandados de prisão

COMPARTILHE
8218
Advertisement
Advertisement

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo, por meio da Promotoria de Justiça de Guaçuí e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Sul), com apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES e da Polícia Militar, deflagrou hoje (16) a Operação Ouro Velho, em Alegre e Guaçuí.

Continua depois da publicidade

O objetivo é desarticular uma organização criminosa formada por servidores públicos de setores da Prefeitura e da Câmara Municipal de Guaçuí que atuam para obter direta e indiretamente vantagem econômica com a prática de diversas infrações penais. Até o momento, foram cumpridos seis dos sete mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão, nos municípios.

As investigações revelaram que os integrantes da organização criminosa se uniram para combinar editais, frustrar procedimentos licitatórios e divulgar dados sigilosos, tais como quem participaria das concorrências, quais as propostas feitas e quem ganharia o certame.

Constatou-se que as fraudes às licitações ocorriam a partir da elaboração dos editais, para permitir a vitória das partes interessadas. Há, portanto, indícios contundentes das práticas dos crimes de organização criminosa, fraude em licitação e peculato.​

Continua depois da publicidade

O MPES não divulgou os nomes dos detidos e investigados.

Advertisement
Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.