Cidades

MPES apura denúncia de mortes no setor de hemodiálise da Santa Casa de Guaçuí

COMPARTILHE
Divulgação
5184
Advertisement
Advertisement

A Promotoria de Guaçuí vai solicitar à Polícia Civil, nos próximos dias, que instaure um inquérito para apurar mortes de pacientes do setor de hemodiálise na Santa Casa do município. Uma denúncia feita ao Ministério Público Estadual (MPES) revelou que, somente no ano passado, 16 pessoas morreram. Nos primeiros meses deste ano já foram registrados seis óbitos.

ES registrou mais de 40,6 mil casos de dengue e oito mortes pela doença nos seis primeiros meses de 2020

Nesta quinta-feira (9), a Secretaria da Saúde (Sesa) divulga o 27º boletim epidemiológico da...

Oportunidade: Sine Cachoeiro oferta 33 vagas de emprego nesta sexta (10)

A sexta-feira (10) começa com 33 vagas de emprego no Sine de Cachoeiro de...

Prefeitos, comerciantes e prestadores de serviço terão de se adequar a normas de combate à Covid-19 no ES

Diante do aumento dos casos de contaminação pelo novo coronavírus, principalmente no Interior do...

Ainda de acordo com o denunciante, que faz uso do setor, pacientes chegam a esperar por até cinco horas para fazer o procedimento de filtragem do sangue. As máquinas usadas no tratamento também apresentam defeitos constantes e ficam paradas por dias.

O MPES afirmou que após as investigações, se comprovadas as mortes por ineficiência no atendimento da hemodiálise, os proprietários da empresa que presta o serviço serão responsabilizados pelos óbitos. Além dessa denúncia, os responsáveis pelo setor de hemodiálise da Santa Casa são investigados pelo órgão ministerial e citados na operação “Carro de Boi”, deflagrada na última semana e que investiga irregularidades nos contratos da UTI. Onze pessoas, entre médicos, gestores e ex-gestores do hospital foram presas na operação.

Advertisement

Estão em liberdade

Continua depois da publicidade

O médico Waldir de Aguiar Filho, foi solto um dia após ter sido preso pelo Gaeco. Ele teve o pedido de prisão preventiva revogado pelo juiz Bruno Fritoli Almeida, já que não existiam provas suficientes para uma suposta participação no esquema.

Ontem quem também foi solto foi o ex-provedor Renato Monteiro Pinho.

Continuam presos

Entre os presos estão o provedor da unidade José Areal Prado Filho, o superintendente Denis Vaiz da Silva Ferreira, os empresários Carlos Alberto de Almeida, os médicos Eduardo José de Oliveira Almeida, Victor Oliveira Almeida, Jeovah Guimarães Tavares, Hélio José de Campos Ferraz Filho e Daniel Sabatini Teodoro, além do ex-provedor e atual vereador Valmir Santiago (PTB).

Santa Casa

Ontem, a reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Santa Casa de Guaçuí e foi informada que apenas hoje (15) poderia se manifestar sobre a denúncia das mortes. Segundo a assessoria, o expediente da pessoa responsável pelo setor é às segundas, quartas e sextas-feiras.

Advertisement

Audiência Pública

No dia 27 de junho, o Ministério Público vai promover uma audiência pública, às 19h, com o tema “A Santa Casa de Misericórdia que queremos”. O evento será aberto ao público.

O órgão reforça, que denúncias, podem ser feitas na sede do MPES ou por meio da ouvidoria. Não é preciso se identificar.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.