Cidades

Duplicação da BR 101: PRF diz que atraso em obra prejudica segurança

COMPARTILHE
Foto: Lissa de Paula
263

Em reunião da comissão especial que fiscaliza a concessão da BR-101, nessa terça-feira (7), o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Amarílio Boni, admitiu que, se as obras estivessem avançadas, muitas mortes seriam evitadas na rodovia.

Domingos Martins: quase 20 mil fatias de torta serão servidas na Festa do Morango

Em uma festa que terá duas tortas gigantes de morango e cerca de mil...

Confira as vagas de emprego disponíveis no Sine de Cachoeiro nesta terça (23)

O Sine de Cachoeiro de Itapemirim esta com sete vagas de emprego em aberto...

Prefeitura se mobiliza para instalação de campus do Ifes em Presidente Kennedy

O prefeito de Presidente Kennedy, Dorlei Fontão, esteve reunido com os secretários municipais das...

Segundo Boni, isso pode ser comprovado na Avenida do Contorno (ligação entre Serra e Cariacica) que, após duplicada, teve uma redução “brutal” do número de acidentes, principalmente os que envolvem colisões frontais de veículos.

O deputado Marcos Garcia (PV), suplente do colegiado, defendeu a responsabilização da concessionária Eco101 pelas mortes em acidentes em trechos onde há falhas decorrentes do atraso na duplicação da rodovia.

Continua depois da publicidade

Para Garcia, a PRF deveria apontar, nos boletins de ocorrência, que o acidente foi provocado devido a deficiências que poderiam ser evitadas caso houvesse a duplicação.

Boni argumentou que a PRF só pode se ater ao relato técnico de como se deu o acidente, citando, por exemplo, as condições da pista e do tempo; se houve negligência ou indícios de embriaguez ao volante. “Temos de citar os fatos; não cabe a nós dizer se a culpa é da concessionária (Eco101)”.

Foto: Lissa de Paula

Ele acrescentou que as informações do boletim da PRF podem ser utilizadas para amparar ações judiciais nos casos em que os interessados entenderem que foram vítima da demora da ECO 101 na duplicação.

Radares e conscientização

O superintendente da PRF expôs dados estatísticos que apontam a redução de acidentes e de mortes no trecho capixaba da BR-101 nos últimos seis anos. De acordo com os estudos, as mortes baixaram de 231 para 101; e os acidentes diminuíram de 5.459 para 1.904.

A implantação de radares e o uso de outras tecnologias foram apontados como principais recursos que resultaram na melhoria das estatísticas.  Boni citou campanhas de educação no trânsito desenvolvidas pela PRF que estariam contribuindo com a conscientização, como o Cinema Rodoviário (que mostra cenas de trânsito) e o Festival Estudante de Trânsito (Fetran).

Para o presidente da comissão especial, deputado Fabrício Gandini (PPS), as informações do superintendente da PRF foram relevantes, principalmente quando destacou a importância da duplicação da rodovia para diminuir as mortes e os acidentes.

De acordo com Gandini, as citações de Boni constarão de relatório que subsidiará medidas a serem tomadas para pressionar o Poder Público a agir para que a concessionária Eco101 cumpra o contrato de duplicação da rodovia que, na opinião dele, “praticamente ainda não saiu do papel”.

Fonte: Web Ales

Publicidade