Política Regional

Dois presos na Operação Ouro Velho em Guaçuí são colocados em liberdade

COMPARTILHE
4164
Advertisement
Advertisement

Carlos Magno da Silva, presidente da Cooperativa de Transportes de Alegre e Gilmar Luzente, membro da Comissão de Licitação da Câmara Municipal de Guaçuí foram colocados em liberdade pela Justiça na tarde desta terça-feira (28).

Continua depois da publicidade

Os dois são investigados por participação em um esquema de fraudes dentro da Prefeitura Municipal de Guaçuí. Tanto Magno quanto Gilmar, foram presos no último dia 16, quando o Ministério Público deflagrou a Operação Ouro Velho, para desarticular a organização criminosa que obtia vantagens em desvio de dinheiro público.

As investigações revelaram que os integrantes da quadrilha se uniram para combinar editais, frustrar procedimentos licitatórios e divulgar dados sigilosos – como quem participaria das concorrências –, quais as propostas feitas e quem ganharia o certame.

Foi constatado que as fraudes às licitações ocorriam a partir da elaboração dos editais, para permitir a vitória das partes interessadas.

Continua depois da publicidade

Entre os sete presos, estão o presidente da Câmara Municipal de Guaçuí, servidores e secretários do Executivo. A Operação recebeu o nome de Ouro Velho por que um dos investigados trabalha há mais de 20 anos no setor de licitação do município.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].