Esporte Regional

De Anchieta para o mundo: atletas se destacam no beach soccer e se preparam para jogar na Itália

COMPARTILHE
Foto: Bruno Xavier
531

Todo menino em algum momento da infância já pensou em ser jogador de futebol. O esporte, que saiu dos gramados e foi parar nas areias, já elegeu capixabas como os melhores do mundo e agora prepara uma nova safra de jogadores de alta performance no beach soccer, o famoso futebol de areia.

Fisiculturista kennedense vai disputar Campeonato Brasileiro

Uma rotina intensa de treinos cujo objetivo é a definição muscular, estética e perfeição...

Copa Guri Nacional irá movimentar Anchieta no feriadão

Anchieta irá sediar entra amanhã e domingo a Copa Guri Nacional de Futebol de...

Governo Federal libera emendas do ex-deputado federal Manato que vão beneficiar cidade do Sul do ES

O Governo Federal liberou neste mês de junho mais de R$ 300 mil, referentes...

Uma das promessas do esporte é o goleiro Gean Pietro, de 21 anos, que teve oportunidade de conhecer países como a China, Uruguai e Dubai por meio do beach soccer. Pietro começou a jogar em um projeto social aos 18 anos, no litoral de Anchieta e, hoje, se prepara para jogar na Itália e já está com processos de cidadania italiana tramitando.

Continua depois da publicidade

O jogador conta que desde a infância atuou no futebol de campo e jogava em um time de base na cidade. Mas por questões familiares o sonho de ser um jogador profissional acabou.

“Na minha infância eu jogava em um time amador em Anchieta, até que em um ano, tudo começou a dar errado e meu sonho de ser um goleiro de alto nível no futebol de campo havia acabado. Fiquei anos sem jogar bola. Era um menino prestes a completar 18 anos. Sem perspectivas, planos, sem sonhos para minha vida, estava afastado dos caminhos de Deus e havia passado por uma fase muito difícil”, disse Pietro.

O rapaz conta como descobriu o projeto em 2016. “Após o time do CTM (Centro de Treinamento Missão) ganhar seu primeiro campeonato municipal de beach socer, fiquei sabendo que o Bruno Xavier estava treinando meninos em um projeto na praia e logo me interessei, mas nunca havia jogado na areia”, contou o goleiro.

Gean teve a chance de dar uma guinada por meio do esporte e aproveitou a oportunidade. “Foi ali que Deus me resgatou e pude começar a viver uma vida com propósito e realizar um sonho: ser goleiro profissional. Fui me apaixonando pelo esporte e descobrindo o meu talento como goleiro na modalidade. Por meio do esporte tive meu caráter transformado. Com apenas seis meses de treinamento participei da minha primeira competição em Vitória. A partir daquele campeonato iniciava o meu sonho”.

Campeonatos

O atleta participou de diversas disputas, entre elas, o Campeonato Nacional Sub-20 no Rio de Janeiro. Onde os jogadores com melhor desempenho seriam convidados para a Seleção Brasileira Sub-20. Gean passou na seletiva e foi eleito o melhor goleiro, posteriormente, convocado para a Seleção.

“Hoje continuo sonhando alto e minha perspectiva é jogar na Europa, na Itália. Estou tirando minha cidadania italiana para poder jogar no país e me preparando para nos próximos anos conquistar a seleção profissional”, finalizou.

Seleção Brasileira Sub-20

Outro jogador que vem chamando a atenção no esporte é o artilheiro Raphael Silva dos Santos, de 22 anos, que treina em Meaípe, balneário de Guarapari e também em Anchieta. Ele já jogou em times de Vitória e atualmente faz parte da Seleção Brasileira Sub-20.

A rotina do artilheiro não é fácil, ele treina diariamente e está concluindo a faculdade de odontologia. Ele conta como o esporte o transformou.

“O beach soccer mudou tudo em minha vida, tanto na vida de atleta como na minha formação como homem. Antes de entrar no projeto (CTM) eu não me preocupava em estudar, estava frustrado com oportunidades que perdi no esporte e hoje consigo conciliar o esporte e os estudos. Minha expectativa é poder disputar um campeonato italiano ou um campeonato russo e fazer minha carreira fora do país”, contou.

Raphael também está tirando a cidadania italiana e pretende disputar campeonatos europeus.

Onde tudo começou

Tanto Gean quanto Raphael treinam pelo Centro de Treinamento Missão (CTM), um projeto social que treina 150 crianças de sete a 17 anos divididas entre escolinhas de Beach Soccer nos municípios de Anchieta, Cachoeiro de Itapemirim, Piúma e Guarapari.

Idealizado pelo jogador de Beach Soccer Bruno Xavier e pelo pastor Ângelo Caetano da Associação Missão Evangélica, o CTM visa tirar crianças em situação de risco das ruas e incentiva-las no esporte e no ensino, evitando a evasão escolar, afastando-as das drogas, e principalmente, gerando mais chances de carreiras profissionais dentro e fora do esporte.

Além da causa social o principal objetivo do projeto, segundo Bruno Xavier, eleito duas vezes o melhor jogador de beach soccer do mundo, era “apresentar” Jesus por meio do esporte.

“O projeto surgiu em uma conversa que o pastor teve comigo, eu tinha vontade de abrir um, mas não com o meu nome. Era algo que Deus tinha colocado em meu coração e no coração do pastor Ângelo, então surgiu o CTM. O objetivo inicial sempre foi o social mas “apresentar” Jesus por meio do beach soccer era o principal. Graças a Deus tomou uma proporção que não esperávamos, devido ao comprometimento dos alunos, alcançamos o alto rendimento”.

O centro de treinamento conta com o apoio de outro jogador que é modelo de inspiração para os atletas: Betinho, eleito o jogador mais vitorioso da Seleção Brasileira.

“Tento expressar a minha gratidão ao esporte que me projetou. A melhor forma é proporcionar aos jovens oportunidades de desfrutar do que eu e o Betinho, um grande nome da modalidade, vivemos através do beach soccer”, disse Xavier.

Atualmente, além de treinar os meninos do projeto, Bruno Xavier se prepara com a Seleção para disputar as eliminatórias da Copa do Mundo, que acontece no final deste ano no Paraguai.

“Estou jogando em alto rendimento, para representar a nossa nação tem que estar bem preparado. Mas nunca deixo de dar apoio aos meninos do projeto”, finalizou.

Mesmo com o sucesso do projeto e a constatação de que o CTM é um celeiro de bons jogadores que podem representar o nome do Espírito Santo e do Brasil em mundiais a fora, a iniciativa ainda sofre com a falta de patrocínios que possam ajudar a manter o centro de treinamento. Aqueles que tiverem interesse em ajudar o projeto podem entrar em contato por meio do 28 99973-1668 ou do e-mail [email protected]

 

 

Publicidade